Alemanha reconhece oficialmente genocídio na Namíbia | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 28.05.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Alemanha reconhece oficialmente genocídio na Namíbia

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que a Alemanha causou "um sofrimento incomensurável" ao povo Herero e Nama durante a era colonial e vai pagar à Namíbia mais de mil milhões euros em ajudas ao desenvolvimento.

Monumento na Namíbia em memória do genocídio dos povos Herero e Nama

Monumento na Namíbia em memória do genocídio dos povos Herero e Nama

A Alemanha reconheceu formalmente, esta sexta-feira (28.05), como genocídio os crimes cometidos pelas suas tropas coloniais no início do século XX contra os povos das etnias Herero e Nama no que hoje é a Namíbia.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Maas, afirmou em nota à imprensa que, como "gesto de reconhecimento do imensurável sofrimento" que a Alemanha causou, o país criará um fundo de 1,1 mil milhões de euros para apoiar na reconstrução e desenvolvimento da Namíbia.

O objetivo das negociações que duraram mais de meia década foi "encontrar um caminho comum para uma reconciliação genuína em memória das vítimas", explicou Maas.

Isso inclui nomear os acontecimentos do período colonial alemão na atual Namíbia e, em particular, as atrocidades no período entre 1904 e 1908 "sem poupar ou encobrir".

"Vamos agora, também a título oficial, chamar a estes acontecimentos o que eles foram na perspectiva atual, um genocídio", acrescentou o ministro.

"A aceitação por parte da Alemanha de que foi cometido um genocídio é o primeiro passo na direção certa", disse o porta-voz do Presidente Hage Geingob, Alfredo Hengari, à AFP.

Deutsch-Südwestafrika Holzstich Hereroaufstand 1904/5

Litografia contemporânea de uma batalha com o povo Herero

Conclusão de mais de meia década em construção

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, os representantes das comunidades Herero e Nama estiveram estreitamente envolvidos nas negociações com a Namíbia durante mais de cinco anos. 

A Alemanha iniciou conversações com o governo namibiano em 2015 sobre o que foi designado como uma "reavaliação orientada para o futuro do domínio colonial alemão". 

A antiga ministra alemã do desenvolvimento, Heidemarie Wieczorek-Zeul, foi a responsável pelas primeiras desculpas do país pelos assassinatos numa viagem à Namíbia em 2004, onde disse que as ações do país seriam vistas como genocidas nos termos atuais.

O que acontece agora?

A declaração deverá ser assinada por Maas na capital da Namíbia, Windhoek, no início de junho e os parlamentos de ambos os países devem então ratificar a declaração. 

Assistir ao vídeo 01:07

Genocídio na Namíbia: um capítulo sangrento da história colonial da Alemanha

O Presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, deverá pedir oficialmente desculpa pelos crimes do país em frente ao Parlamento namibiano.

Que crimes a Alemanha cometeu na Namíbia?

O Império Alemão foi a potência colonial no que então era chamado de Sudoeste da África Alemã, entre 1884 e 1915. Durante esse período, as suas forças militares derrubaram brutalmente várias rebeliões, matando dezenas de milhares de pessoas.

O general alemão Lothar von Trotha, enviado para reprimir uma revolta Herero em 1904, era particularmente conhecido pela sua extrema crueldade.

Os historiadores consideram que até 65.000 dos cerca de 80.000 de etnia Herero que viviam na área na altura, e pelo menos 10.000 dos cerca de 20.000 Nama, foram mortos.

Como tem sido recebida a declaração na Namíbia?

Alguns representantes dos povos Herero e Nama exprimiram críticas ao acordo, dizendo que se tratava de uma manobra de relações públicas da Alemanha e de uma tentativa de defraudar o governo namibiano.

No entanto, nenhum dos grupos que expressaram objeções, a Autoridade Tradicional Ovaherero e a Associação de Líderes Tradicionais Nama, pode ser considerado como representando todos os grupos Herero e Nama.

Os membros de ambos os grupos exigiram um pedido oficial de desculpas da Alemanha, bem como uma compensação financeira.

Leia mais