Afeganistão: Sete mortos em tumulto nos arredores do aeroporto de Cabul | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 22.08.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Afeganistão: Sete mortos em tumulto nos arredores do aeroporto de Cabul

Segundo OTAN, número oficial de mortos nos arredores do aeroporto de Cabul subiu para 20. Estados Unidos reforçam voos de evacuação. G7 e Biden planeiam reunião na terça-feira.

Afghanistan I Evakuierung am Flughafen Hamid Karzai

Soldado norte-americano no aeroporto de Cabul

Em declaração publicada este domingo (22.08), o Ministério da Defesa do Reino Unido informou que sete civis afegãos morreram esmagados em tumultos do lado de fora do aeroporto de Cabul, no sábado (21.08), quando o pânico tomou conta da multidão que tenta embarcar em aviões de evacuação.

"As condições no terreno continuam a ser extremamente difíceis, mas estamos a fazer tudo o que podemos para gerir a situação da forma mais segura possível", lê-se na declaração, segundo a agência Reuters.

Os talibãs teriam desencadeado o pânico ao dispararem para o ar para dispersar a multidão.

"Os nossos pensamentos sinceros estão com as famílias dos sete civis afegãos que infelizmente morreram no tumulto em Cabul", acrescentou o Ministério da Defesa britânico.

Um funcionário da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) disse à Reuters que pelo menos 20 pessoas morreram nos arredores do aeroporto de Cabul desde que a cidade foi tomada pelos talibãs há uma semana.

"As nossas forças estão a manter uma distância rigorosa das áreas exteriores do aeroporto de Cabul para evitar quaisquer confrontos com os talibãs", acrescentou.

Também este domingo, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, disse à emissora norte-americana CNN que as mortes são um "sinal dos custos humanos do que está a acontecer no Afeganistão neste momento".

Várias crianças desapareceram em meio ao caos no aeroporto da capital afegã, relata a agência noticiosa alemã DPA.

Um representante dos talibãs declarou à agência Reuters que o grupo busca "total clareza sobre o plano de saída das forças estrangeiras", acrescentando que "gerir o caos fora do aeroporto de Cabul é uma tarefa complexa".

Aviões comerciais para apoiar evacuações

A Casa Branca informou que aviões comerciais de diversas companhias aéreas norte-americanos serão utilizados para ajudar nos esforços de realojamento daqueles que foram retirados por via aérea do Afeganistão.

Ss aeronaves não voariam para Cabul, mas transportariam aqueles que foram evacuados do Afeganistão para outros locais.

Deutschland | Demonstration für die Evakuierung von Afghanen

Protesto em Berlim

Manifestação em Berlim

Ativistas de toda a Alemanha reunem-se este domingo para exigir a rápida e desburocratizada evacuação dos afegãos que enfrentam represálias por parte dos talibãs.

As manifestações têm por lema: "Afeganistão: assumir a responsabilidade - começar agora!

Os manifestantes pedem que, para além das forças de apoio militar locais, outros que são ameaçados pelos talibãs sejam igualmente evacuados. Na Alemanha, os afegãos também deveriam receber proteção como refugiados.

Houve protestos também em outras cidades alemãs.

Reunião do G7 na terça-feira

O Primeiro-Ministro britânico Boris Johnson disse que convocará uma reunião de líderes do G7 na terça-feira (24.08) para discutir a situação no Afeganistão.

Na rede social Twitter, Johnson escreveu: "É vital que a comunidade internacional trabalhe em conjunto para assegurar evacuações seguras, prevenir uma crise humanitária e apoiar o povo afegão para garantir os ganhos dos últimos 20 anos".

Já o porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que o Presidente norte-americano, Joe Biden, irá participar virtualmente da reunião.

Organizações de ajuda planeiam permanecer no Afeganistão

A maioria das organizações humanitárias que trabalham no Afeganistão, incluindo todas as agências ligadas à ONU, estão a planear ficar, de acordo com um relatório do escritório da ONU em Genebra publicado no jornal alemão Welt am Sonntag.

O relatório estima ainda que a maioria das 150 organizações não-governamentais que lá se encontram também ficarão.

O jornal alemão citou a agência internacional dos direitos da criança UNICEF: "Os Talibãs pediram-nos em muitas províncias que ficássemos e continuássemos o nosso trabalho comprovadamente bem sucedido em prol das crianças", lê-se.

Assistir ao vídeo 04:52

Vitória dos talibãs no Afeganistão pode influenciar no terrorismo em Cabo Delgado?

Leia mais