Volkswagen assume o controle da Scania | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 03.03.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Volkswagen assume o controle da Scania

Maior montadora européia passa a deter 68,9% do direito de voto na empresa sueca e fortalece especulações sobre fusão entre MAN, Scania e segmento de caminhões da Volks no Brasil.

default

Volkswagen eleva de 20,89% para 37,73% sua participação no capital do grupo sueco

A montadora alemã Volkswagen anunciou nesta segunda-feira (03/03) que adquiriu um pacote de ações da Investor AB, da família sueca Wallenberg, por 2,9 bilhões de euros, garantindo assim o controle da fabricante sueca de caminhões Scania.

Com a compra, a Volks aumentou de 37,98% para 68,6% seus direitos de voto na Scania. Sua participação no capital do grupo sueco subiu de 20,89% para 37,73%.

A transação, que ainda depende da aprovação dos órgãos antitruste, "é um passo importante para conseguir uma estrutura acionária clara em longo prazo", informaram fontes da Volkswagen.

Fusão próxima?

Com a aquisição, o maior produtor automobilístico da Europa assume o controle da Scania e dá mais um passo para a criação de um grande consórcio de fabricação de caminhões junto com a empresa MAN, de Munique, da qual a Volkswagen detém 30%. A MAN, por seu lado, possui 17% do direito de voto na Scania.

"A aquisição ressalta o significado que damos à Scania", disse o presidente da Volkswagen, Martin Winterkorn. Ele garantiu que manterá a marca e que não serão feitas alterações na administração e nas estruturas da montadora sueca. "Acreditamos nesta empresa e estamos certos de que a Scania prosseguirá crescendo de forma rentável", acrescentou.

O presidente Leif Östling, que deve ser mantido à frente da empresa sueca, manifestou-se aliviado: "Saúdo a Volkswagen como acionista majoritária. As especulações sobre a estrutura de poder dentro da empresa têm fim, isso facilita o trabalho da administração. Pretendemos ampliar nossa cooperação com a Volkswagen e dividir melhor ainda nossa tecnologia".

Fusão atingiria o Brasil

Hans-Dieter Pötsch, diretor de Finanças da Volkswagen, negou planos imediatos de fusão com a MAN. "Continuamos acreditando no potencial da união, mas não para agora ou em futuro próximo", disse.

O presidente do conselho de administração da Volkswagen, Ferdinand Piëch, é um dos defensores da união entre Scania, MAN e o segmento de caminhões da Volks no Brasil. Tanto a Scania como a MAN vem operando nos últimos anos com uma alta margem de lucros e, segundo analistas, elas podem continuar contando com um grande crescimento do mercado mundial de utilitários.

Leia mais