1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Tropas internacionais sofrem primeiro atentado em Cabul

Soldados britânicos abrem fogo ao serem atacados a tiros. Assassinato de ministro parece esclarecido. Teria sido obra de guarda-costas. Ministro alemão visita Cabul neste domingo.

default

Presidente Hamid Karzai acompanha o enterro de seu ministro, protegido por militares

As tropas internacionais ISAF foram alvo de um atentado, neste sábado, pela primeira vez desde que se instalaram no Afeganistão, em dezembro. Durante à noite, um posto de observação de pára-quedistas britânicos, próximo à Universidade de Cabul, foi atacado a tiros. Em resposta, os soldados abriram igualmente fogo.

Pela manhã, as tropas ISAF deram início às buscas aos autores do atentado. Logo encontraram um carro perfurado de balas. Nas proximidades, encontraram em seguida um homem morto baleado e cinco feridos numa casa. O comando britânico não pode, porém, garantir que eles tenham sido os agressores, pois os ferimentos não teriam sido causados por balas.

Assassinato esclarecido – O incidente horas antes do enterro do ministro afegão dos Transportes e Turismo, Abdul Rahman, assassinado quinta-feira no Aeroporto de Cabul. A princípio, acreditou-se que o político havia sido linchado pelos romeiros que esperavam há três dias para viajar para Meca e o governo de transição acusara o grupo terrorista Al Qaeda de estar por trás do episódio.

Agora, o governo afirma que Rahman foi morto por membros do próprio aparato de segurança afegão. Segundo o presidente Hamid Karzai, três suspeitos já estão detidos. Dois deles seriam generais. Outros três suspeitos teriam sido capturados na Arábia Saudita. O ministro afegão da Informação, Raheen Machdoon, disse que o motivo do crime foi um conflito particular, sem fundo político.

Alemanha – Após encerrar sua viagem pelo Oriente Médio, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Joschka Fischer (Partido Verde), embarcou neste sábado rumo ao Afeganistão, com escala no Uzbequistão. Devido ao mal tempo, porém, é possível que Fischer não consiga prosseguir seu vôo, na manhã de domingo, para Cabul. Além disto, o aeroporto da capital afegã está interditado desde o assassinato do ministro dos Transportes. Há dez dias, o político verde alemão já havia sido obrigado a cancelar uma viagem a Cabul devido ao mau tempo na região.

O programa da visita de Fischer inclui um encontro com o presidente Karzai e visitas aos soldados alemães das tropas ISAF, a uma escola e um centro de formação de procuradores de minas, que está sendo parcialmente financiado com verbas da Alemanha. Na noite de domingo, o ministro deve embarcar de volta a Berlim, acompanhado do chefe de governo afegão para sua primeira visita oficial ao país que sediou, em dezembro, a Conferência de Paz para o Afeganistão.

Leia mais