Teto nos gastos públicos vira lei | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 15.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Teto nos gastos públicos vira lei

Congresso promulga emenda constitucional que limita, pelas próximas duas décadas, o crescimento das despesas federais. Mudança era prioridade do governo Temer.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos federais pelos próximos 20 anos foi promulgada pelo Congresso Nacional nesta quinta-feira (15/12), depois de ter sido aprovada em dois turnos pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.

Na Câmara, a PEC encaminhada pelo Executivo tramitou com o número 241 e no Senado como PEC 55. O texto foi promulgado como Emenda Constitucional 95 e agora é lei. As mudanças eram uma das prioridades do governo do presidente Michel Temer.

Leia também: "Sem a PEC 55, quem paga o pato são os pobres"

Leia também: "PEC do teto dos gastos trará danos graves à educação"

Entenda a PEC do teto de gastos e como ela afeta a economia

A proposta limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos, a partir de 2017, com possibilidade de revisão a partir do décimo ano de vigência. Pela medida, os gastos públicos totais serão reajustados com base na inflação oficial do ano anterior.

A inflação a ser considerada para o cálculo será a medida nos últimos 12 meses, até junho do ano anterior. Assim, em 2018, por exemplo, a inflação usada será a medida entre julho de 2016 e junho de 2017.

Durante a tramitação, a proposta provocou discussões entre a oposição e a base de apoio ao governo na Câmara e no Senado. Segundo os apoiadores da medida, o teto de gastos por 20 anos é necessário para o ajuste fiscal e não vai prejudicar os gastos sociais. Para a oposição, impedirá investimentos públicos, agravará a recessão e prejudicará principalmente os mais pobres, ao reduzir recursos em áreas como educação e saúde.

AS/abr/asn

Leia mais