1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Papa perdoa ex-mordomo que vazou documentos secretos

O papa Bento 16 perdoou seu ex-mordomo Paolo Gabriele, que foi condenado a 18 meses de prisão em outubro passado por vazar documentos confidenciais à imprensa. Os documentos revelavam corrupção no Vaticano.

Na manhã deste sábado (22/12), o papa Bento 16 visitou pessoalmente seu ex-mordomo Paulo Gabriele em sua cela para informá-lo do perdão, de acordo com o Vaticano.

No entanto, o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, disse que Gabriele não poderá mais trabalhar ou residir no Vaticano.

Vatileaks

Vatikan Prozess Paolo Gabriele

Paolo Gabriele (d) no julgamento do Vatileaks

Paolo Gabriele foi condenado por furto qualificado e estava cumprindo uma sentença de 18 meses numa cela de prisão do Vaticano.

Durante seu julgamento, que ficou conhecido como caso Vatileaks, Gabriele disse a uma corte formada por três juízes do Vaticano que, ao vazar os documentos, ele havia agido por amor "visceral" à Igreja Católica e ao papa. Ele ainda sustentou que ele não era um ladrão.

As informações contidas nos documentos foram usadas num livro publicado por um jornalista italiano sobre provável corrupção no Vaticano.

"Família papal"

O livro escrito pelo jornalista Gianluigi Nuzzi – Sua Santidade, as cartas secretas de Bento 16 – revelou tensões no Vaticano em torno do cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado da Santa Sé. O cardeal teria supostamente encoberto casos de corrupção e teria tentado preencher alguns postos de trabalho com seus apoiadores.

Gabriele fazia parte da chamada "família papal": ele era uma das dez pessoas que tinham a chave do elevador que leva diretamente aos aposentos papais.

CA/dpa/ap/rtr
Revisão: Mariana Santos

Leia mais