1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Maioria das mortes de jovens poderia ser evitada, afirma OMS

Relatório revela que acidentes de trânsito, aids e suicídio são as principais causas da mortalidade de adolescentes. Depressão é principal motivo de doença e incapacidade nessa faixa etária.

A grande maioria das mortes de jovens entre 10 e 19 anos poderia ter sido evitada, estima a Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo um relatório publicado nesta quarta-feira (14/05), acidentes de trânsito – frequentemente causados pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas e drogas – aids e suicídio foram as principais causas de morte dos cerca de 1,3 milhões de adolescentes que perderam a vida em 2012.

"O mundo não tem dado atenção suficiente à saúde dos adolescentes", critica a vice-diretora-geral para Família, Mulher e Criança da OMS, Flavia Bustreo, recomendando que países tenham programas de saúdes voltados a essa faixa etária.

Atualmente, 1,2 bilhão de pessoas – ou uma em cada cinco pessoas no mundo – têm entre 10 e 19 anos. O relatório da OMS, intitulado Saúde para os adolescentes do mundo, analisou políticas de saúde pública relacionadas aos adolescentes em países.

"Se não forem abordados, os problemas de saúde e comportamento que começam na adolescência – como consumo de tabaco e álcool e padrões alimentares e de exercício – têm um sério impacto na saúde e no desenvolvimento dos adolescentes de hoje e efeitos potencialmente devastadores na saúde dos adultos de amanhã", afirma Jane Ferguson, principal autora do relatório.

Segundo o documento, a depressão é a principal causa de doença e incapacidade entre adolescentes. Além disso, diversos estudos teriam mostrado que metade das pessoas que possuem alguma doença psicológica a desenvolveram até os 14 anos. No relatório, a OMS afirma também que o tratamento adequado pode evitar sofrimento e mortes. O suicídio é apontado como a terceira causa para a morte de adolescentes.

A primeira são os acidentes de trânsito, que também são a segunda causa de ferimentos e deficiência nessa faixa etária. Esse problema atinge três vezes mais meninos do que meninas. Para evitá-lo, a OMS recomenda que países adotem medidas para aumentar o acesso a um transporte público de qualidade e seguro e reforcem as leis de trânsito ao estipular limites de álcool no sangue e de velocidade.

Menos esporte e cigarro

A OMS também manifesta preocupação com o aumento no número de mortes ligadas ao vírus HIV – a segunda causa de mortes na faixa etária. Enquanto tem tido menos influência sobre outros grupos, o HIV tem atingido mais adolescentes, principalmente na África. Em 2000, o vírus nem aparecia entre as causas de mortes de jovens.

O relatório revelou ainda que apenas um em cada quatro adolescentes pratica atividades físicas regularmente. A OMS recomenda no mínimo uma hora por dia. Em alguns países, a obesidade atinge um em cada três jovens.

Por outro lado, o estudo mostra que houve melhora em alguns aspectos. A organização constatou que os jovens estão fumando menos, por exemplo. Além disso, cerca de 84% dos países analisados possuem algum tipo programa de saúde voltado aos jovens.

O principal foco desses programas são doenças sexualmente transmissíveis e saúde reprodutiva. Entretanto, cerca de um terço deles abrange o consumo de tabaco e álcool e um quarto, a saúde mental.

Além disso, desde 2000, houve queda nas mortes causadas por complicações na gravidez e parto entre adolescentes, particularmente nas regiões onde a taxa de mortalidade materna é mais alta: Sudeste asiático (57%), Mediterrâneo Oriental (50%) e África (37%). Mas apesar da redução, essa continua sendo a segunda maior causa de mortes entre as meninas, perdendo apenas para o suicídio.

CN/dpa/afp/lusa

Leia mais