1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Maduro manda prender donos de rede varejista

Empresários são acusados de fomentar "guerra econômica" contra o governo. Escassez de produtos leva venezuelanos a formar filas diante de supermercados, lojas e farmácias.

O governo da Venezuela anunciou neste domingo (01/02) a detenção dos donos de uma grande rede varejista do país, sem especificar o nome da empresa. Eles foram acusados de deliberadamente provocar filas e assim indispor a população contra o governo.

Segundo a imprensa local, trata-se da rede de farmácias Farmatodo, apesar de o governo mencionar uma cadeia vendedora de gêneros alimentícios. Nas últimas semanas, muitos venezuelanos têm feito filas em frente a supermercados, lojas e farmácias, devido à escassez de produtos.

Segundo presidente Nicolás Maduro, os proprietários – que ele chamou de covardes e parasitas – estavam "conspirando e irritando" a população e foram presos por "provocar o povo com uma guerra econômica". Além de medicamentos, a Farmatodo vende alimentos e produtos de higiene pessoal.

Maduro disse que uma unidade da rede reduziu o número de caixas de dez para três, enquanto ocupava os funcionários com o descarregamento de caminhões. Ele chamou esse comportamento de "tática guerrilheira". As detenções aconteceram no sábado, depois de uma operação de fiscalização do governo.

"Todos que usarem suas empresas para prejudicar o povo terão que pagar com a prisão, conforme a lei, desde já", sentenciou Maduro, que acusa grupos privados de conduzir uma "guerra econômica" para derrubar seu governo.

No mês passado, governadores de três estados venezuelanos proibiram a formação de filas durante a madrugada em frente ao comércio.

A escassez de produtos básicos de consumo, de leite a papel higiênico, tem se acirrado nas últimas semanas, levando muitos consumidores a irem aos mercados antes do amanhecer para esperar as portas serem abertas.

AS/rtr/ots

Leia mais