1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Governo turco responsabiliza EI por atentado em Istambul

Ainda sem nenhum tipo de reivindicação pelo grupo terrorista, Ancara atribui ao "Estado Islâmico" a autoria do ataque, que deixou quatro mortos e 39 feridos. Ministério do Interior reavalia medidas de segurança.

default

Segurança fortalecida na metrópole Istambul

O ministro turco do Interior, Efkan Ala, atribuiu a autoria do atentado suicida deste sábado (19/03), em Istambul, a um membro da organização terrorista "Estado Islâmico" (EI). Como divulgou na televisão, neste domingo, trata-se do turco Mehmet Özturk, nascido em 1992, em Gaziantep.

Apesar de suas conexões com o EI, o jovem não estava nas listas de procurados pelos órgãos de segurança nacionais. Segundo Ala, foram detidos cinco suspeitos de cumplicidade no ato que matou o terrorista e quatro passantes, além de ferir outros 39. Entre os mortos constam três turistas israelenses e um iraniano.

Até o momento nenhum grupo reivindicou o ataque a bomba numa zona de pedestres da metrópole Istambul. Aos jihadistas do "Estado Islâmico" cabe a autoria do maior atentado terrorista na capital, que resultou em 102 mortes em outubro de 2015.

Antes das declarações do Ministério do Interior, a mídia nacional também especulara sobre um envolvimento do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Uma facção dissidente do grupo declarado ilegal pelo governo turco assumiu a responsabilidade por dois atentados recentes na capital, Ancara, em 17 de fevereiro e 13 de março, com 29 e 37 vítimas, respectivamente.

O ministro Ala acrescentou que, em reação às ocorrências, o governo está reavaliando todas as suas medidas de segurança. Em algumas cidades foi proibida a comemoração da festa de ano novo dos curdos, o Newroz ("novo dia", em idioma curdo). Além disso foram decretados toques de recolher em sete províncias e no centro da cidade de Sirnak. Em anos anteriores, ocorreram choques entre curdos e as forças estatais turcas no Newroz.

AV/rtr/afp/ap

Leia mais