1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

documenta

"Documenta" 12 renova na escolha da livraria

Fusão temporária de livrarias alternativas berlinenses substitui, após dez 'documentas', a tradicional livraria Walter König na venda de publicações relativas à mostra, em Kassel. DW-WORLD conversou com um dos livreiros.

default

'b_books' e 'Pro qm': contêiner branco na praça da 'documenta'

Uma das surpresas da atual documenta foi o convite feito a duas pequenas livrarias berlinenses – "b_books" e "Pro qm" – para substituírem a tradicional livraria Walter König, que completaria, neste ano, sua décima documenta, caso tivesse sido convidada para estar presente em Kassel.

Bildgalerie Bbooks Bild 4

Aljoscha Weskott, representante da 'b_books'

Se entendermos o livro como forma central de apresentação da exposição, a fusão temporária das duas livrarias, conhecidas pelo trabalho político na tradição das livrarias de esquerda, demonstra uma posição nada conservadora dos curadores da documenta 12 e uma preocupação programática da exposição, cujos leitmotive estão ligados a projetos alternativos de sociedade: "A Modernidade é a nossa Antiguidade? O que finalmente é a vida? O que fazer?"

"b_books" e "Pro qm"

"b_books" entende-se como uma plataforma de atividades políticas e artísticas, que se organiza, desde 1996, em torno da livraria homônima no bairro berlinense de Kreuzberg. Um certo desejo pelo texto e experiência com trabalho político-artístico coletivo conduziram a uma composição que une livraria, editora, firma de produção cinematográfica e espaço de eventos.

Uma das principais atividades político-artísticas, levada à frente por "b_books", foram as discussões em torno da controversa exposição da "Coleção Flick", há cerca de dois anos, em Berlim. Tal campanha, que punha em questão a coleção da família industrial que enriqueceu no regime nazista, ficou ligada à loja.

Bildgalerie Bbooks Bild 6

Não se vendem somente artistas da 'documenta'

"Pro qm" surgiu como livraria temática em 1999 e se ocupa, principalmente, com a cidade e as interfaces com política, pop, moda, arquitetura, design, arte e teorias adjacentes.

Juntas em um contêiner branco da Friedrichsplatz, a praça da documenta, as livrarias expõem e vendem livros relacionados a atual documenta, bem como publicações que as acharam interessante trazer para a mostra.

Fusão temporária

A fusão temporária de "b_books" com "Pro qm", em Kassel, levou também a uma nova experiência para o próprio conceito da livraria localizada no bairro berlinense de Kreuzberg, que se entende mais como uma biblioteca do que como um estande de vendas. Sobre o seu trabalho em Berlim e sobre sua presença em Kassel, DW-WORLD conversou com Aljoscha Weskott, um dos representantes de "b_books".

Ele informa que, apesar das diversas atividades que sua livraria exerce em torno dos temas da documenta, sua preocupação em Kassel foi se estabelecer como loja, já que ele e seus colegas não são livreiros, no sentido clássico da palavra.

Bildgalerie Bbooks Bild 7

Monografias clássicas também são oferecidas

Weskott chama atenção que o caráter comercial, em Kassel, é algo novo para os integrantes de "b_books", que não representam uma posição fixa nem se organizam em um grêmio. Os sete ou oito "vendedores" se alternam no trabalho da livraria. Weskott afirma que a questão econômica é resolvida desde o início, já que não recebem salário. Como pequena editora, com tiragens de 500 a dois mil exemplares, também não se pode ter lucro.

Novo tipo de economia

E foi justamente com um novo tipo de economia, para eles uma nova experiência, que tiveram que se confrontar em Kassel. Por outro lado, seu estabelecimento não deve ser enquadrado na tradição de loja alternativa de informação de esquerda. O convite para Kassel pode ser entendido como certa contingência, certo acaso. E é difícil dizer se "b_books" se enquadra no conceito da documenta, afirma Weskott.

Bildgalerie Bbooks Bild 2

Estudos de gênero e homossexuais

A livraria se dedica principalmente a publicações sobre estudos de gênero e estudos homossexuais ( queer and gender studies), mas também está ligada, de certa forma, ao mundo da arte, podendo ser enquadrada nas revistas de textos sobre arte. Existe ainda uma cooperação com movimentos que seguem modelos clássicos de esquerda, como o grupo Kanak Attak, como também com instituições ligadas ao cinema, como o cine Arsenal, em Berlim.

"Comunidade sem unidade"

Uma "comunidade sem unidade" define Weskott o ensemble de diferentes pessoas com quem trabalha. Perguntado se, por este conceito, os curadores da documenta os convidaram para Kassel, Weskott considera que o convite adveio, principalmente, da atividade editorial de "b_books" e que "b_books" e "Pro qm" não foram convidadas para se tornar um espaço de exposição alternativo, mas para dirigir uma livraria.

Bildgalerie Bbooks Bild 5

Mary Kelly é uma das principais artistas da mostra

Quanto ao papel do livro no mundo da arte, Weskott afirma que, hoje, o livro exerce um papel central na relação com a arte. No caso de grandes editoras, existem casos em que o catálogo se torna mais importante do que a própria obra de arte, comenta Weskott.

Sua livraria não edita monografias de artistas. Questões como o museu e o display, a exposição da exposição são de interesse, mas o que importa é a questão de que política concreta existe nestes campos da arte, de como instituições podem ser modificadas.

Contêiner branco da Friedrichsplatz

Bildgalerie Bbooks Bild 3

'b-books' não tem estratégia fixa de ação

O visitante encontrará livros sobre filmes, teoria do cinema, clássicas monografias dos artistas da documenta 12, como também de artistas que aí não estão, mas que "b_books" considerou importante trazer a Kassel. Há ainda livros de teoria da arte, teoria política e homossexualidade. Complementando a oferta, "Pro qm" oferece publicações sobre urbanismo, teoria da arquitetura, cidade e espaço público, um tema que está bastante representado, explica Weskott.

Perguntado sobre os próximos planos de "b­_books", Weskott afirma que não sabe que convites ainda estão por vir. Diferentemente daquilo que pensam alguns, sua instituição não tem uma estratégia pré-definida. Sua principal forma de ação é o rastro que deixam na escolha daquilo que publicam e vendem e nos convites que ainda estão por aceitar.

Leia mais