1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Copiloto do 4U-9525 tinha 630 horas de voo

Andreas Lubitz, de 28 anos, se formou piloto na escola da Lufthansa em 2008 e seu comportamento nunca despertou suspeitas. Colega o descreve como pessoa divertida e satisfeita com o emprego.

O copiloto do voo 4U-9525, Andreas Lubitz, tornou-se nesta quinta-feira (26/03) o

principal suspeito

de ser o responsável pela queda, na terça-feira, do Airbus A320 nos Alpes franceses, até então tratada pelos investigadores como acidente.

Segundo o promotor de Marselha, Brice Robin, o copiloto impediu o piloto de retornar à cabine de comando do avião e teria voluntariamente colocado a aeronave em movimento descendente. Segundo Robin, aparentemente a intenção do copiloto era destruir o avião.

Lubitz tinha 28 anos e era natural da cidade de Montabaur, na região de Westerwald, no estado alemão da Renânia-Palatinado. Ele morava na casa dos pais, na cidade, e tinha uma segunda residência em Düsseldorf.

Ele trabalhava desde setembro de 2013 na empresa aérea alemã Germanwings, subsidiária da Lufthansa, e tinha 630 horas de voo. Formou-se piloto na escola da Lufthansa em Bremen, em 2008. Segundo a Lufthansa, ele começou como comissário de bordo antes de virar piloto.

Montabaur Wohnort Andreas Lubitz Durchsuchung Polizei

Polícia revista casa de Lubitz

Segundo o presidente da Lufthansa, Carsten Spohr, o desempenho de Lubitz como piloto era impecável, e o seu comportamento nunca despertou suspeitas. Ele teria interrompido sua formação por alguns meses, mas isso não é incomum, afirmou Spohr.

Um amigo, citado pela revista Der Spiegel, diz que a pausa foi feita porque Lubitz estava com sintomas depressão e da síndrome de burnout - esgotamento físico e mental intenso ligado à vida profissional.

Já na adolescência Lubitz fora membro de um aeroclube de planadores, o LSC Westerwald. Um outro membro de longa data do aeroclube, Peter R., disse à agência de notícias Reuters que Lubitz era "uma pessoa legal, divertida e, às vezes, um pouco calada".

Segundo Peter R., ele era benquisto e bem integrado no ambiente social do clube, tendo alguns amigos e não sendo, de forma alguma, uma pessoa solitária. "Ele estava feliz com seu emprego na Germanwings e estava bem", afirmou.

Segundo um amigo de Lubitz, citado pelo jornal Rhein Zeitung, os dois haviam se comunicado no dia anterior e combinado o que fazer quando Lubitz estivesse de volta.

Lubitz também corria e participou da maratona de fim de ano de Montbaur em 2013, conquistando um dos primeiros lugares.

AS/rtr/ap

Leia mais