1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Brasil tem maior rombo nas contas externas desde 1947

Pelo quinto ano seguido, aumenta déficit da balança comercial e de troca de serviços do país com exterior. Saldo negativo equivale a 4,17% do Produto Interno Bruto.

Pelo quinto ano seguido, o Brasil registrou um rombo recorde nas contas externas. O déficit de todas as trocas de serviços e de comércio do país com o exterior somou 90,9 bilhões de dólares, o equivalente a 4,17% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

O desempenho, divulgado nesta sexta-feira (23/01) pelo Banco Central, é o pior desde que os dados passaram a ser registrados, em 1947. Já em proporção ao PIB, o resultado é o pior desde 2001, quando o déficit chegou a 4,19% do Produto Interno Bruto.

Nem mesmo a recente valorização do dólar evitou o aumento do rombo brasileiro. Em dezembro, o Brasil fechou com déficit de 10,317 bilhões dólares em transações correntes. A previsão do Banco Central era bem menor: 6,7 bilhões de dólares, para dezembro, e 86,2 bilhões de dólares para o ano inteiro.

A autoridade monetária também divulgou que os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no Brasil somaram 62,5 bilhões – 1,4 bilhão de dólares abaixo do arrecadado em 2013.

Analisando somente a conta de serviços, na qual estão viagens de brasileiros ao exterior e de estrangeiros ao Brasil, o déficit anual subiu de 47,1 para 48,7 bilhões de dólares.

Em ano de Copa do Mundo, os gastos de turistas estrangeiros cresceram apenas 210 milhões de dólares em relação ao ano de 2013. O Banco Central esperava um aumento de 700 milhões.

Na conta final, os gastos dos brasileiros em viagens ao exterior ultrapassaram o que os turistas estrangeiros deixaram no Brasil em 18,7 bilhões de dólares (o brasileiro gastou 25,6 bilhões de dólares no exterior – maior valor desde 1974).

PV/rtr/ab

Leia mais