1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Aprendendo com Anne Frank

As experiências da jovem alemã de origem judia que vivenciou as agruras da 2ª Guerra Mundial estão sendo revistas em uma exposição interativa em sua cidade natal, Frankfurt.

default

O Diário de Anne Frank ainda hoje é best-seller da literatura mundial, embora tenha sido escrito há mais de meio século. As experiências e sentimentos da adolescente alemã obrigada a se esconder com sua família em Amsterdã, capital da Holanda, no ano de 1942, fugindo da perseguição nazista aos judeus, são descritas com uma autenticidade única em seu diário, iniciado quando tinha apenas 13 anos.

O tema pode parecer ultrapassado, afinal, a guerra acabou e os tempos são outros. Seria bom acreditar nisso, não fosse a realidade: a sociedade alemã ainda fomenta certo preconceito contra estrangeiros, incluindo os judeus, conforme revelou a ministra da Juventude, Renate Schmidt, na abertura da exposição “Anne Frank. Uma garota da Alemanha”.

A mostra na Casa da Juventude Anne Frank, em Frankfurt, visa justamente confrontar os jovens com a história desta garota de origem judia para conscientizá-los da importância de uma postura tolerante e livre de preconceitos com relação a pessoas de outras origens.

Anne Frank morreu antes de completar 15 anos, vítima do racismo de um regime apoiado pela comunidade. De acordo com uma pesquisa realizada há 3 anos, cerca de 20% dos alemães acham que os judeus exercem muita influência na sociedade alemã.

Tudo indica que o extremismo de direita, a xenofobia e o anti-semitismo alcançaram uma nova dimensão na Alemanha nos últimos anos, freqüentemente expressa na forma de violência e atos hostis. Muitos dos agressores são jovens que incorporam preconceitos sem medir a expansão de seus gestos. É para esta faixa etária que a mostra é direcionada.

Mostra interativa

Anne Frank

Anne Frank

A exposição é alinhavada em três perguntas que permearam o diário de Anne Frank, questões sempre atuais e não apenas para os jovens: Quem sou eu?; O que vai acontecer comigo?; O que é importante para mim?

Para despertar a atenção da garotada, a exposição sobre Anne Frank conta com recursos modernos de ofertas interativas visuais, sonoras e gráficas em diversos aspectos pertinentes ao assunto central.

Computadores e projeção de filmes também foram incluídos nesta mostra, onde cada visitante pode se deter no tema de seu interesse. A participação em um fórum virtual possibilita a troca de idéias, experiências, impressões e opiniões.

De Jovens para jovens

“Por favor toque, descubra, entenda” anima à participação ativa. Cada visita guiada está sob a responsabilidade de um jovem, especialmente preparado para acompanhar grupos de escolares e adolescentes da mesma faixa etária.

Desta forma se estabelece maior proximidade entre os participantes e uma atmosfera mais propícia para a abordagem e o tratamento de temas como racismo e preconceito na atualidade.

Leia mais

Links externos