Amigo do atirador de Munique esteve com ele pouco antes do ataque | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 25.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Amigo do atirador de Munique esteve com ele pouco antes do ataque

Adolescente afegão manteve contato com Ali David S. pelo WhatsApp e se encontrou com ele no local do massacre. Ele responderá na Justiça por suspeita de não reportar um crime.

Deutschland München nach dem Amoklauf Trauernde

Afegão de 16 anos, amigo de Ali David S., será levado perante a Justiça por não denunciar o crime

Autoridades alemãs afirmaram nesta segunda-feira (25/07) que o atirador de Munique e um amigo, um jovem afegão que se apresentou à polícia no último domingo, estiveram em contato pouco antes do ataque que matou nove pessoas na capital da Baviera, na sexta-feira passada.

Segundo as autoridades, o adolescente de 16 anos tentou apagar a conversa feita através do aplicativo de mensagens WhatsApp em seu telefone, mas a polícia conseguiu reaver o diálogo. "Esse chat e o interrogatório na condição de suspeito revelaram que o afegão se encontrou com o atirador pouco antes do ataque, no local que mais tarde foi configurado como a cena do crime", afirmou o promotor-geral bávaro Thomas Steinkraus-Koch.

As conversas entre os dois indicam que o adolescente afegão possivelmente sabia que seu amigo Ali David S. tinha uma pistola Glock 17. Os dois se encontraram minutos antes do tiroteio no centro de compras Olympia, o que levou o promotor a concluir que ele também "deveria saber alguma coisa sobre o ato". O jovem ainda se contradisse durante seu depoimento e será levado perante a Justiça sob suspeita de não denunciar um crime.

Assistir ao vídeo 01:19
Ao vivo agora
01:19 min

Veja imagens do ataque em Munique

Os dois adolescentes se conheceram há um ano na clínica onde ambos faziam tratamento psiquiátrico. Eles compartilhavam uma paixão por jogos de computador de tiros em primeira pessoa (quando o jogador fica no lugar de um atirador) e conversavam sobre casos de assassinato em série.

Segundo o investigador, o atirador executou várias de suas vítimas com tiros na cabeça. "Tenho a impressão de que ele agiu como se estivesse num jogo de computador", afirmou Steinkraus-Koch.

Quando estava na clínica psiquiátrica, o afegão soube que Ali David S. tinha "ódio pelas pessoas" e idolatrava o atirador norueguês Andres Behring Breivik, relatou o promotor.

O ataque em Munique ocorreu no quinto aniversário do massacre na ilha de Utoya, quando Breivik matou 77 pessoas a sangue frio. Uma cópia de seu manifesto foi encontrada no computador do jovem alemão de origem iraniana.

Nesta segunda-feira, o centro de compras Olympia foi reaberto ao público, três dias após o tiroteio que matou nove pessoas e feriu outras 35. As autoridades disseram que nenhum dos feridos continua em estado grave.

RC/afp/dpa/rtr

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados