1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha prende supostos terroristas palestinos

Numa batida em dez cidades da Alemanha foram presos 11 supostos membros da célula local da organização terrorista palestina Al-Tawhid, nesta terça-feira (23).

default

Kay Nehm informou sobre as prisões

O grupo planejou ataques terroristas na Alemanha e deu apoio logístico aos combatentes da Al Qaed de Osama Bin Laden no Afeganistão, segundo a Procuradoria Geral da República alemã anunciou em Karlsruhe. A Alemanha se revelou como uma base importante de terroristas islâmicos depois de 11 de setembro.

O grupo fundamentalista Al-Tawhid, supostamente com sede na Grã-Bretanha, prega uma Jihad internacional (guerra santa). Um dos seus líderes seria o palestino Yaser H, de 36 anos, que tem contatos em toda a Alemanha. Seus dois apartamentos em Essen foram revistados pelo comando especial antiterror alemão.

Os presos se ocupavam principalmente com falsificação de passaportes, recolhimento de donativos e transporte de combatentes e por isso vinham sendo observados há meses, segundo a Procuradoria Geral. Alguns deles estiveram em campos de treinamento militar no Afeganistão. Nas buscas em 19 objetos distribuidos em dez cidades, a polícia apreendeu vários computadores, disquetes e documentos falsos. O procurador-geral Kay Nahm anunciou que vai examinar ainda nesta terça-feira se os supostos terroristas serão mantidos presos.

Atentado contra sinagoga - O ministro alemão do Interior, Otto Schily, também anunciou a prisão de um suspeito de envolvimento no atentado a uma sinagoga em Djerba, na Tunísia, há duas semanas, em que morreram 15 pessoas, entre as quais 11 turistas alemães. O preso é o tio do motorista e suposto autor do ato terrorista, Nizar Ben Mohammed Nawar, que morreu na explosão de um caminhão carregado de gás de cozinha na frente da sinagoga mais antiga da África. Não há, todavia, ligação entre o grupo palestino Al-Tawhid e o ato terrorista na ilha da Tunísia.

Schily esteve no fim de semana na Tunísia para se informar in loco sobre as investigações feitas por sete enviados especiais da polícia federal alemã. O governo tunisiano admitiu que foi um atentado, depois de tentar camuflar a causa da explosão para proteger a principal fonte de divisas, o turismo.

Confissão de Al Qaed - No segundo dia do julgamento de cinco argelinos e supostos membros da Al Qaeda, em Frankfurt, um deles confessou nesta terça-feira que planejara, junto com outros três co-réus, um atentado a bomba para destruir a Sinagoga da Paz, em Estrasburgo, entre janeiro e fevereiro de 2001. O Ministério Público de Frankfurt, onde estão sendo julgados, os acusou de ter planejado o atentado na feira de Natal da cidade francesa, em dezembro de 2000. Eles foram impedidos de cometer o ato porque foram presos em Frankfurt.

Como motivo para o atentado à Sinagoga da Paz, construída nos anos 50, o réu Aurerobi Beandali, de 26 anos, citou a política da França para a Argélia, que comete massacres contra o seu próprio povo. A bomba seria detonada por controle remoto e sem ferir pessoas, segundo Beandali. Ele revelou que freqüentara uma escola religiosa três meses e passara outros nove num campo de treinamento militar no Afeganistão, mas que isto não teria nada a ver com a Al Qaeda.

Três supostos kamikases que chocaram dois aviões com as torres gêmeas do World Trade Center estudaram na Universidade de Hamburgo.