1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha disposta a mediar no conflito do Iraque

Governo alemão se mostra aberto a participar de grupo de contato para pacificação do Iraque, mas continua excluindo envio de soldados. Ministro alemão do Exterior discute proposta da comissão Baker em Washington.

default

Steinmeier encontra Rice pela terceira vez em duas semanas

A coalizão de governo em Berlim apóia, em princípio, a participação da Alemanha num grupo de contato internacional para o Iraque. A Alemanha e a Europa poderiam contribuir, em cooperação com a Síria e o Irã, para a pacificação do Iraque, segundo declarou o coordenador do governo alemão para relações teuto-americanas, Karsten Voigt.

Antes de sua visita aos EUA, o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, anunciou que pretende conversar com a secretária de Estado norte-americana, Condoleeza Rice, sobre as recomendações da comissão Baker. A comissão coordenada pelo ex-secretário de Estado James Baker propôs a colaboração da Alemanha.

Treinar soldados fora do Iraque

Apesar de o governo em Berlim continuar rejeitando o envio de soldados alemães para o Iraque, a Alemanha poderia contribuir para o treinamento das forças de segurança iraquianas. Mesmo a médio prazo, isso não deverá acontecer em território iraquiano, mas em outros países. A comissão Baker também sugeriu que o Exército norte-americano priorize o treinamento de soldados iraquianos e passe a evitar o envolvimento em combates.

O grupo de contato para o Iraque seria parte de uma iniciativa diplomática através da qual os EUA pretendem redirecionar sua intervenção militar no Iraque. Além do Irã e da Síria, a Turquia e a Jordânia também poderão ser convidadas a colaborar, assim como países-chave na região, como o Egito. Outros membros do grupo de contato poderiam ser os quatro países com direito de veto no Conselho de Segurança da ONU, as Nações Unidas e a União Européia.

Bálcãs e Oriente Médio em pauta

Além da questão do Iraque, uma cooperação internacional para garantir a estabilidade nos Bálcãs, sobretudo diante da questão ainda pendente do status do Kosovo, continua sendo "absolutamente necessária", na visão do governo alemão. O impasse com a Rússia acerca do fornecimento de energia para a União Européia e uma estratégia comum para maior estabilidade no Oriente Médio também deverão ser assuntos centrais da visita do ministro alemão do Exterior aos Estados Unidos.

Esta é o terceiro encontro entre Steinmeier e Rice em apenas duas semanas. Ambos conversaram durante o encontro da Otan em Riga, no final de novembro, e durante a conferência do G8 com países do Oriente Médio e do Norte da África, na capital jordaniana, Amã. O programa nuclear do Irã continua sendo um assunto diário entre os governos em Berlim e Washington.

Leia mais