Yoshihide Suga é eleito primeiro-ministro do Japão | Notícias internacionais e análises | DW | 16.09.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Ásia

Yoshihide Suga é eleito primeiro-ministro do Japão

Braço direito do ex-premiê Shinzo Abe é confirmado pelo Parlamento para sucedê-lo, depois de ter sido escolhido pelo partido no poder. Suga promete continuidade.

Yoshihide Suga

Yoshihide Suga tem pela frente a retomada econômica e o combate ao coronavírus

O Parlamento do Japão elegeu nesta quarta-feira (16/09) Yoshihide Suga para o cargo de primeiro-ministro, em substituição a Shinzo Abe, que renunciou por questões de saúde após quase oito anos como líder do governo.

Suga, de 71 anos, era o braço direito de Abe. Ele foi chefe de gabinete e ministro porta-voz do governo. O novo premiê obteve 314 de 462 votos, numa sessão extraordinária do Parlamento japonês, convocada para ratificar a escolha do partido no poder, o Partido Liberal Democrata (PLD), que tem maioria parlamentar junto com seu parceiro de coalizão, o Komeito.

Em seguida, Suga apresentou seu ministério, que mantém muitos nomes do governo de Abe, alguns deles trocando de pasta. O ministro das Finanças, Taro Aso, por exemplo, continua no cargo.

Suga já disse que vai dar continuidade às políticas econômicas de Abe e que as prioridades são combater o novo coronavírus e revitalizar a economia, afetada pela pandemia.

Na segunda-feira, o PLD escolhera Suga como novo líder, para completar o mandato de Abe, até setembro do próximo ano.

Shinzo Abe

Abe se despediu do cargo depois de oito anos. Ele renunciou por problemas de saúde

Abe, de 65 anos, foi o primeiro-ministro do Japão que mais tempo permaneceu no cargo. Ele sofre de colite ulcerosa, uma doença crônica que causa inflamação e úlceras no cólon e no reto. O ex-premiê anunciou no mês passado que era obrigado a renunciar, pois tinha pela frente um tratamento contínuo com óbvio impacto físico, apesar de se sentir melhor.

"Eu dediquei o meu corpo e alma à recuperação econômica e à diplomacia para proteger o interesse nacional do Japão todos os dias. Durante esse período, fui capaz de enfrentar vários desafios, juntamente com a população, e estou orgulhoso de mim mesmo", afirmou Abe.

Suga demonstrou lealdade a Abe desde a primeira passagem deste pelo cargo de primeiro-ministro, de 2006 a 2007. O mandato de Abe terminou então abruptamente por causa de uma doença, e Suga ajudou-o a regressar como primeiro-ministro em 2012.

O novo primeiro-ministro vai herdar uma série de desafios, incluindo os problemas econômicos, os impactos do novo coronavírus, as relações diplomáticas e econômicas com a China e os Estados Unidos, além do destino dos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para o próximo verão devido à pandemia.

AS/lusa/rtr/dpa