Venezuela expulsa delegação de eurodeputados | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 18.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

América Latina

Venezuela expulsa delegação de eurodeputados

Membros do Parlamento Europeu planejavam se reunir com oposicionista Guaidó, mas têm passaportes apreendidos e são obrigados a deixar o país. Governo acusa grupo de ter "fins conspiratórios".

Esteban Gonzalez Pons

Gonzalez Pons: "Atenção, tiraram nossos passaportes e nos expulsam da Venezuela"

O governo da Venezuela expulsou neste domingo (17/02) uma missão de eurodeputados que viajaria pelo país para realizar diversas reuniões, incluindo o autoproclamado presidente interino do país, Juan Guaidó, afirmou o europarlamentar espanhol Esteban González Pons, que integrava o grupo.

"Atenção, tiraram nossos passaportes e nos expulsam da Venezuela. Estão nos tratando mal e a única explicação que nos deram é que Maduro não nos quer aqui", afirmou Gonzáles Pons através do Twitter ainda no aeroporto internacional Simón Bolívar. "Estão nos conduzindo diretamente a um avião, que espero que seja o que irá a Madri, mas estão nos expulsando do país."

A delegação foi convidada a visitar o país pelo presidente da Comissão Permanente de Política Exterior, Soberania e Integração da Assembleia Nacional venezuelana, Francisco Sucre. O órgão legislativo, dominado pela oposição, não é reconhecido pelo governo de Nicolás Maduro. O convite aos eurodeputados teria sido feito em nome do próprio Guaidó, que desejava se reunir com o grupo. Desde o início, a delegação deixou claro que a viagem à Venezuela não seria em nome do Parlamento Europeu, mas de caráter privado.

Gonzáles Pons disse que o grupo está indignado com a expulsão e que se trata da "última prova de que este regime se converteu numa ditadura tirânica". Ele é o porta-voz da delegação espanhola do Partido Popular no Parlamento Europeu e integra o grupo que viajou à Venezuela juntamente com Esther de Lange, vice-presidente do grupo do Partido Popular Europeu (PPE), e Paulo Rangel, vice-presidente e tesoureiro do PPE.

Eles foram acompanhados por José Ignacio Salafranca Sánchez-Neyra, vice-coordenador da Comissão de Assuntos Externos, e Gabriel Maio Adrover, vice-presidente da delegação América Central – ambos membros da Assembleia Europarlamentar Latinoamericana – e Juan Salafranca, secretário-geral adjunto do PPE.

O ministro venezuelano do Exterior, Jorge Arreaza, afirmou neste domingo que o governo já havia alertado há vários dias que eurodeputados que viajassem ao país "com fins conspiratórios" não seriam admitidos, pedindo que desistissem da viagem e evitassem novas provocações. Segundo Arreaza, o governo "não permitirá que a extrema direita europeia perturbe a paz e a estabilidade do país com outra de suas ações grosseiras e de ingerência. Deve-se respeitar a Venezuela", afirmou Arreaza, também pelo Twitter. 

A França e a Espanha criticaram a expulsão. "Naturalmente que nós desejávamos que tivessem entrado e condenamos a atitude do governo da Venezuela e do senhor Maduro", afirmou o ministro do Exterior da Espanha, Josep Borrell.

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, também se manifestou. "Protestamos energicamente pelas condições em que foram expulsos cinco deputados europeus que iriam se ocupar do processo democrático na Venezuela", afirmou.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Trajani, pediu ao Conselho Europeu que se manifeste sobre o caso. "O regime de Maduro impede que os eurodeputados façam seu trabalho ao expulsá-los. Mais uma prova de que é um ditador", afirmou.

Assim com os Estados Unidos, a maioria dos países da União Europeia, entre estes a Alemanha, a França, o Reino Unido e a Espanha, declararam apoio a Guaidó e à convocação de novas eleições na Venezuela.

RC/efe/ep

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais