Venezuela confirma eleições presidenciais para 14 de abril | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 10.03.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

América Latina

Venezuela confirma eleições presidenciais para 14 de abril

Nicolás Maduro, presidente interino, e Henrique Capriles, lançado pela coalizão de 33 partidos de oposição, vão disputar o pleito. Governistas irão usar imagem e popularidade de Hugo Chávez para ganhar a eleição.

"Convocamos a eleição presidencial para o dia 14 de abril", informou a presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, Lucena Tibisay, em um anúncio transmitido pela televisão. As candidaturas deverão ser apresentadas neste domingo e segunda-feira, e a campanha eleitoral oficial poderá ser realizada somente entre 2 e 11 de abril.

Maduro, de 50 anos, ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente interino, já anunciou a sua candidatura pelo Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), um desejo manifestado por Chávez. Maduro pretende seguir com o chavismo, juramento já feito ao tomar posse na presidência na última sexta-feira.

A coligação de oposição, unida nas eleições presidenciais de outubro de 2012 em torno da candidatura de Henrique Capriles, de 40 anos, ainda não anunciou sua escolha. Mas especialistas dizem que o governador do estado de Miranda será apresentado como candidato oposicionista. O mandato presidencial é de seis anos.

Chávez venceu Capriles nas últimas eleições presidenciais em outubro do ano passado com 54,42% dos votos. Mesmo assim, com 44,97%, Capriles obteve a melhor marca da oposição durante a era chavista.

Críticas da oposição

A oposição criticou, mais uma vez, a decisão do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), em que Maduro poderá ser candidato ao pleito, sem que para isso abandone o cargo – contrariando, assim, a ala oposicionista. Capriles qualificou a posse de Maduro na última sexta-feira como presidente interino e sua futura candidatura como "fraude constitucional".

Henrique Capriles Politiker Venezuela

Mesmo perdendo as últimas eleições presidenciais para Chávez, Capriles obteve a melhor marca da oposição durante a era chavista

O secretário-executivo da aliança opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD), Ramón Guillermo Aveledo, teme abuso de poder por parte do partido governista, mas, mesmo assim, confirmou a participação da oposição no pleito com a coalizão de 33 partidos políticos. "Reconhecemos em Capriles a pessoa para encarnar a alternativa democrática."

Na noite de sua posse, Maduro rechaçou as críticas da oposição e sugeriu que dentro da MUD haveria tensões em meio ao debate sobre boicotar as eleições, além de afirmar que seria um erro gravíssimo se a oposição não apresentar um candidato. "Nós estamos prontos (para o pleito)."

Imagem de Chávez

Até o momento, pesquisas de opinião projetam uma cômoda vitória para Maduro, sustentada pelas políticas sociais que têm beneficiado milhões de venezuelanos e que foi um dos pilares de popularidade de Chávez.

O especialista em estudos de opinião pública Luis Vicente León, diretor da empresa Datanalisis, alertou em sua conta do Twitter que "a campanha se desenvolverá entre o divino e o terreno", referindo-se ao fato de que o partido governista usará a imagem do ex-presidente Chávez.

FC/dpa/lusa/rtr
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais