Venda de brasileiro provoca saída de técnico do Hoffenheim | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 02.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Venda de brasileiro provoca saída de técnico do Hoffenheim

Venda do brasileiro Luiz Gustavo ao Bayern foi a gota d´água no desgastado relacionamento de Ralf Rangnick com a diretoria do clube. Treinador conseguiu elevar time do fundador da SAP da terceira à primeira divisão.

default

Luiz Gustavo é pivô da primeira crise de 2011 na Bundesliga

O Hoffenheim anunciou neste domingo (2/1) a substituição do treinador do time, Ralf Rangnick, pelo seu assistente, Marco Pezzaiuoli. O motivo da saída do técnico foram desentendimentos com a direção do clube, cujo proprietário é Dietmar Hopp, fundador líder em software industrial SAP. A gota d´água foi a decisão da diretoria de vender o meia brasileiro Luiz Gustavo ao Bayern de Munique, anunciada neste sábado (1/1).

Rangnick, de 52 anos, assumiu como treinador do Hoffenheim em junho de 2006. Sob o seu comando, a equipe conseguiu sair da Terceira Divisão, chegando à Primeira Divisão do futebol alemão. Nesta temporada, o clube, que chegou a estar por algum tempo na terceira posição, ocupa atualmente o oitavo lugar no campeonato.

Desentendimentos com diretoria

Ralf Rangnick Fußball TSG 1899 Hoffenheim

Rangnick levou time da terceira à primeira divisão

Ralf Rangnick pediu demissão após desavenças com o proprietário do clube. As divergências já vinham desgastando o relacionamento entre ambos, mas o ponto alto foi a venda do brasileiro Luiz Gustavo, por cerca de 15 milhões de euros, ao Bayern de Munique.

A transação foi acertada sem o conhecimento do treinador, que considerava o brasileiro o melhor jogador da equipe. "Esse é o único caso em que um jogador é transferido sem que o técnico seja informado diretamente", afirmou Rangnick segundo o tablóide Bild. "Isso provocou minha decisão", acrescentou.

Conforme divulgou o semanário alemão Bild am Sonntag, o contrato, que terminaria em junho de 2012, foi rescindido em "acordo mútuo".

MD/dpa/afp/rtrs
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais