União Europeia quer mudanças no formato de buscas do Google | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 11.01.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

União Europeia quer mudanças no formato de buscas do Google

Comissão Europeia ameaça multar a multinacional da internet, caso não sejam apresentadas propostas para modificar o sistema de buscas. A suspeita é de que a empresa desvie o tráfego dos internautas.

O comissário da União Europeia (UE) para assuntos de Concorrência, Joaquín Almunia, ameaçou multar o Google, caso não sejam alteradas as configurações de busca online da empresa.

"Ainda estamos investigando, mas a minha opinião é de que o Google está desviando o tráfego", disse Almunia, segundo declarações publicadas pelo jornal Financial Times nesta quinta-feira (10/01).

A Comissão Europeia acredita que os internautas estejam sendo induzidos a abrir apenas links de parceiros do Google. Outra suspeita é de que a página bloqueia rivais, como a Microsoft, e copia conteúdos de sites de restaurantes e viagens sem permissão.

O Google está sendo investigado pela UE desde 2010. Agora foi dado o prazo de um mês, a partir de 18 de dezembro de 2012, para que a empresa apresente propostas de mudança. Se não houver acordo entre ambas as partes, a multa aplicada poderá ser de até 10% do lucro da multinacional, que hoje controla 70% do mercado de buscas na internet.

"Nós continuamos trabalhando em cooperação com a Comissão Europeia", disse o porta-voz do Google, Al Verney. Almunia declarou ao Financial Times que preocupa-se apenas com "a maneira como o Google apresenta os próprios serviços" e que "não estava discutindo o algoritmo" – a fórmula secreta por trás do motor de busca.

Na semana passada, o Google também foi investigado nos Estados Unidos sob suspeita de controlar as pesquisas dos norte-americanos. O organismo anticartel FTC disse, porém, não ter encontrado evidências suficientes. Na Europa, as investigações continuam.

MC/afp/rtr
Revisão: Luisa Frey

Leia mais