Turquia e Rússia acordam cessar-fogo na Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 28.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Síria

Turquia e Rússia acordam cessar-fogo na Síria

Trégua começa a valer a partir da meia-noite, em todo o país. Medida prepara terreno para as negociações de paz entre regime sírio e oposição, previstas para se realizarem no início do ano em Astana, Cazaquistão.

Presidentes russo, Vladimir Putin (esq.), e turco, Recep Tayyip Erdogan, se encontraram em outubro em Istambul

Presidentes russo, Vladimir Putin (esq.), e turco, Recep Tayyip Erdogan, se encontraram em outubro em Istambul

A Turquia e a Rússia fecharam um acordo de cessar-fogo na Síria, que entra em vigor a partir da meia-noite desta quarta-feira (28/12), segundo informações divulgadas pela agência de notícias turca Anadolu.

O acordo visa preparar terreno para que possam ser realizadas negociações políticas de paz entre governo sírio e grupos opositores, previstas para janeiro em Astana, capital do Cazaquistão. Os encontros organizados por Ancara e Moscou ainda não têm data definida.

De acordo com a agência turca, o acordo estende para todo o país o cessar-fogo instaurado em Aleppo no início de dezembro, mas sem incluir os "grupos terroristas". Como já ocorrido com outros acordos, por exemplo, com os Estados Unidos, o entendimento de quem deve ser considerado "grupo terrorista" pode representar obstáculo a esta nova tentativa de cessar-fogo.

Do ponto de vista Ancara, a milícia jihadista "Estado Islâmico" (EI) e as Unidades de Proteção do Povo (YPG) curdas são responsáveis por atos de terrorismo. Já Damasco e Moscou consideram como terroristas quase todos os grupos contrários ao governo do presidente Bashar al-Assad. A agência turca não especifica quais grupos serão excluídos do novo cessar-fogo.

Desde o início da guerra na Síria, em março de 2011 durante a assim chamada "Primavera Árabe", Turquia e Rússia estiveram de lados opostos do conflito. Enquanto o posicionamento da Turquia era contrário a Assad, defendendo sua saída do poder, a Rússia sempre esteve do lado das forças do governo sírio.

Após o início da intervenção militar russa no país, em setembro de 2015, e a retomada de Aleppo pelo governo sírio, a Turquia mudou seu posicionamento, passando a cooperar de forma mais estreita com Damasco, ao lado de Moscou, para pôr fim à guerra civil da Síria. O destino de Bashar al-Assad numa futura transição política na Síria permanece controverso entre a Turquia, Rússia, Irã e EUA.

NT/afp/dw/ots

Leia mais