Turismo mostra sinais de recuperação na Alemanha após efeitos da crise | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 15.03.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Turismo mostra sinais de recuperação na Alemanha após efeitos da crise

Depois de queda nas vendas, as expectativas do turismo alemão são otimistas. Na feira ITB, em Berlim, empresários discutem novas tendências e perspectivas para o setor.

default

Feira Internacional de Turismo conta com mais de 11 mil expositores de 187 países

O setor de turismo da Alemanha começou a mostrar sinais de recuperação, após o baixo movimento no início do ano devido à crise. "De pouco mais de um mês para cá, os organizadores e as agências de viagens já sentem melhoras significativas nas reservas para o verão de 2009", afirma o presidente da Federação Alemã da Indústria do Turismo, Klaus Laepple.

A afirmação de Laepple foi feita antes da abertura da Feira Internacional de Turismo (ITB), realizada de 11 a 15 de março em Berlim. Neste ano, mais de 11 mil expositores de 187 países participam da feira, que é considerada a maior do mundo no setor.

Urlaub

Pesquisa mostra que 60% dos alemães querem viajar em 2009

Além de ser uma boa oportunidade para estreitar relações na indústria internacional do turismo, a ITB também serve de termômetro para medir os efeitos da crise.

Por enquanto, as expectativas são otimistas se comparadas à edição de 2008. Segundo o diretor da feira, Christian Göke, os pavilhões estão lotados desde fevereiro e o número de expositores está estabilizado num nível recorde.

Pela primeira vez, a organização da ITB optou por ter uma região parceira em vez de um país. Neste ano, o Vale do Ruhr, no oeste alemão, apresentou suas diversas ofertas como Capital Europeia da Cultura 2010.

Alemães viajam mais

Dos expositores, 75% vêm do exterior e o seu principal público-alvo são os alemães, que têm a fama de gostar de viajar. Laepple ressalta que, em 2008, o número de reservas na Alemanha aumentou 5,5%.

Números da Organização Mundial de Turismo indicam que os alemães são os que mais viajam ao exterior, tendo desembolsado 85 bilhões de dólares em 2008, 7 bilhões a mais que no ano anterior. As estatísticas contabilizam os custos das viagens e os gastos no exterior.

Dono de uma grande agência de viagens em Düsseldorf, no oeste da Alemanha, Laepple não está otimista somente como presidente da Associação Alemã de Economia do Turismo, mas também como empresário.

Mallorca - Sa Calobra

Espanha: destino preferido dos alemães

Segundo ele, os resultados de uma pesquisa realizada pelo instituto Forsa indicam que mais de 60% dos alemães pretendem viajar nas férias de 2009. As perguntas abrangiam somente as férias do verão europeu e não as de inverno, que já terminaram ou estão em andamento.

O início da temporada de turismo começou em 1º de novembro, mas para 2009 as previsões não pareciam muito boas. As reservas para as férias do verão europeu estavam incertas, mas há alguns meses o quadro pessimista apresentou algumas mudanças.

Destinos preferidos

O movimento aumentou principalmente na procura por cruzeiros e por viagens na própria Alemanha. O Mar do Norte e o Mar Báltico continuam entre as preferências dos alemães, assim como os Alpes, as maiores cidades alemãs e as viagens de relaxamento.

No exterior, o Caribe, a República das Maldivas, cidades da Ásia e os Estados Unidos foram os destinos mais desejados pelos entrevistados do instituto Forsa, resultado parecido com a pesquisa de 2008. Porém, o destino do topo da lista continua sendo o Mar Mediterrâneo na Espanha.

As vendas de pacotes de viagens com tudo incluso também serão mais fortes em 2009, o que deve favorecer outros destinos, como a Turquia, diz Laepple. Neste ano, está previsto um aumento de 8% para o país eurasiático.

Bayazit Moschee in Istanbul, Türkei

Turquia deve ser um dos destinos mais cotados para 2009

"A maior venda dos pacotes explica uma procura maior por países como a Turquia. Outro fator decisivo para optar pelo pacote é o custo-benefício", explica o presidente da Associação.

Ele aponta que esse tipo de oferta proporciona ao cliente a vantagem de um planejamento certo da viagem e, com isso, o cálculo de um orçamento seguro para suas férias.

Laepple se diz otimista que o setor de turismo alemão vai superar a crise. Para os feriados de páscoa, serão oferecidas mais passagens para determinados destinos. "Depois da crise, os crescimentos que vamos calcular já estão certos", afirma.

Autor: Sabine Kinkartz
Revisão: Augusto Valente

Leia mais