Tunísia prende três suspeitos de conexão com atentado de Berlim | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 24.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Tunísia prende três suspeitos de conexão com atentado de Berlim

Foram detidos um sobrinho do suposto autor do ataque contra uma feira de Natal na capital alemã e mais outros dois "jihadistas", que também estariam "ligados" a Anis Amri, segundo governo do país africano.

Caminhão que invadiu mercado natalino é retirado do local do ataque

Caminhão que invadiu mercado natalino é retirado do local do ataque

A polícia da Tunísia prendeu um sobrinho do suspeito de atacar uma feira de Natal em Berlim e mais outros dois supostos jihadistas que estariam "ligados" a Anis Amri, afirmou o ministério do Interior tunisiano neste sábado (24/12).

Segundo comunicado, os três suspeitos, com entre 18 e 27 anos, eram membros de uma "célula terrorista" que seria "ligada ao terrorista Anis Amri, que realizou o ataque terrorista em Berlim". Eles foram presos na sexta-feira.

O Ministério do Interior afirmou que Amri enviava dinheiro para seu sobrinho e o encorajava a jurar lealdade ao grupo terrorista "Estados Islâmico". "Um dos membros da célula é filho da irmã do terrorista (Amri) e durante as investigações ele admitiu que estava em contato com seu tio através do (serviço de mensagens) Telegram", diz o comunicado.

O tunisiano Anis Amri, principal suspeito pelo atentado a uma feira de Natal em Berlim, foi morto na sexta-feira durante um tiroteio com policiais na cidade de Sesto San Giovanni, nos arredores de Milão, na Itália.

Impressões digitais confirmaram a identidade de Amri "sem sombra de dúvida", afirmou o ministro italiano do Interior, Marco Minniti, em entrevista à imprensa em Roma. O tunisiano, de 24 anos, era o homem mais procurado da Europa, e sua morte encerrou uma busca que já entrava no quarto dia.

O grupo terrorista "Estado Islâmico", que havia reivindicado a autoria do atentado, divulgou pouco depois um vídeo de cerca de três minutos, no qual Amri jura lealdade ao líder do grupo, Abu Bakr al-Bagdadi. No vídeo, Amri não faz referência ao atentado em Berlim.

O ataque à feira de Natal do bairro Charlottenburg, na noite desta segunda-feira, deixou 12 pessoas mortas e mais de 50 feridos. Um caminhão avançou sobre as barracas da feira. Amri é o principal suspeito de ser o condutor do caminhão. 

MD/afp/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados