Trump reaparece em público e diz estar ″ótimo″ | Notícias internacionais e análises | DW | 10.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Estados Unidos

Trump reaparece em público e diz estar "ótimo"

Presidente dos EUA realiza evento na Casa Branca e gera novas preocupações ao ignorar mais uma vez as recomendações de saúde. Assessoria não informa resultado de seu último teste de covid-19.

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa para simpatizantes em frente à Casa Branca

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa para simpatizantes em frente à Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez neste sábado (10/10) sua primeira aparição pública desde seu retorno à Casa Branca no início da semana, após passar três dias internado para tratar de uma infecção por coronavírus.

Trump discursou da sacada da Casa Branca em um evento chamado de "protesto pacífico por lei e ordem", considerado como o primeiro passo da retomada de sua campanha à reeleição. O evento contou com a presença de algumas centenas de pessoas no gramado em frente à sede do governo americano, o que gerou temores em razão do não cumprimento das recomendações de saúde, como o uso de máscaras de proteção e o distanciamento social.

Recentemente, a Casa Branca foi acusada de organizar um evento que resultou em uma "superpropagação" do vírus. No dia 26 de setembro, a cerimônia que oficializou a indicação da conservadora Amy Barrett para a Suprema Corte pode ter sido o marco zero de um surto de coronavírus na cúpula do governo americano.

Após a cerimônia, pelo menos onze pessoas que estavam entre os mais de 150 convidados testaram positivo para covid-19, incluindo Trump e a primeira-dama, Melania.

A Casa Branca não divulgou o resultado do ultimo teste de covid-19 feito pelo presidente antes do evento deste sábado e se recusou a confirmar quando teria sido a última vez em que ele testou negativo. Na sexta-feira, uma porta-voz da presidência afirmou que Trump não sairia a público caso ainda estivesse com o vírus.

Em seu discurso, Trump se esforçou para demonstrar que está bem. "Estou me sentindo ótimo", afirmou. "Quero que saibam que nossa nação derrotará esse terrível vírus chinês", ressaltou, voltando a afirmar que a doença surgida na China em dezembro vai simplesmente desaparecer. "Já está desaparecendo", assegurou. Até este sábado, os EUA acumulavam 7,6 milhões de casos e mais de 214 mil mortes por covid-19.

O presidente, que adotou o tema da lei e da ordem em sua campanha após uma série de protestos contra o racismo e a violência policial em todo o país, disse que sua legenda, o Partido Republicano, conta com o apoio das forças policiais americanas. "Estamos do lado do bem", afirmou.

Evento em frente à Casa Branca gerou temores em razão do não cumprimento das normas de saúde

Evento em frente à Casa Branca gerou temores em razão do não cumprimento das normas de saúde

Até o momento, as tentativas de Trump de projetar uma imagem de liderança no combate ao crime parecem ter pouco impacto. Pesquisas de opinião colocam o democrata Joe Biden, o adversário de Trump nas eleições de 3 de novembro, com ampla vantagem em relação ao presidente. A diferença entre ambos, contudo, é menor em alguns dos estados considerados fundamentais para as pretensões de ambos os candidatos.

O evento deste sábado teve ares de comício eleitoral, apesar de constar na agenda do presidente como sendo apenas um de seus compromissos. Oficialmente, Trump deve realizar seu primeiro evento de campanha após a infecção por covid-19 nesta segunda-feira, na Flórida. 

A campanha de Biden informou em nota que o ex-vice-presidente testou negativo para covid-19 neste sábado, antes de partir para um evento na Pensilvânia.

RC/rtr/afp/ap

Leia mais