Trump diz que fala sobre Kim foi mal interpretada | Notícias internacionais e análises | DW | 02.03.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Trump diz que fala sobre Kim foi mal interpretada

Presidente dos EUA afirma considerar Coreia do Norte culpada por morte de americano em 2017. Em cúpula no Vietnã, ele disse confiar em Kim Jong-un, que alegou não saber sobre maus-tratos a jovem em prisão norte-coreana.

Presidente dos EUA, Donald Trump

Presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tentou nesta sexta-feira (01/03) contornar uma controvérsia provocada por seus comentários sobre um estudante americano que morreu após sofrer tortura na Coreia do Norte. Durante a semana, o republicano disse acreditar que o líder norte-coreano, Kim Jong-un, não soubesse dos maus-tratos sofridos pelo jovem no país asiático.

Agora, Trump afirmou no Twitter que foi mal interpretado, referindo-se a sua declaração de que acreditava na palavra do norte-coreano quando este afirmou que não sabia o que tinha acontecido a Warmbier durante a detenção do estudante na Coreia do Norte.

"[Kim] me disse que não tinha sabido de nada daquilo, e creio na palavra dele", disse Trump. "Não acredito que ele teria permitido que aquilo acontecesse", acrescentou o americano. "Aquelas prisões são duras, e coisas ruins acontecem."

O comentário, realizado ao final da cúpula entre Trump e Kim no Vietnã, provocou uma onda de críticas, incluindo dos pais do estudante da Universidade de Virgínia.

Otto Warmbier foi detido na Coreia do Norte enquanto visitava o país como turista e foi condenado a 15 anos de trabalhos forçados por tentar roubar um cartaz de propaganda política do hotel onde estava hospedado em Pyongyang, o que o governo norte-coreano considerou um "ato hostil" contra o Estado. Os Estados Unidos conseguiram a libertação do jovem em junho de 2017.

"Claro que eu responsabilizo a Coreia do Norte pelos maus-tratos e a morte de Otto", escreveu Trump no Twitter nesta sexta-feira, ainda que sem acusar nem mencionar diretamente o norte-coreano Kim Jong-un.

"Nunca gosto de ser mal interpretado, ainda mais quando se trata de Otto Warmbier e sua extraordinária família", afirmou. "O mais importante é que Otto Warmbier não terá morrido em vão. Otto e sua família se converteram num tremendo símbolo de forte paixão e força, que durará muitos anos", comentou.

Fred e Cindy Warmbier, pais do jovem, morto aos 22 anos dias depois de chegar aos EUA em estado de coma, condenaram os elogios feitos por Trump a Kim em Hanói. "Fomos respeitosos durante este processo da cúpula. Agora devemos falar", disseram, através de nota.

"Kim e seu malévolo regime são responsáveis pela morte de nosso filho Otto. Kim e seu malévolo regime são responsáveis por uma crueldade e desumanidade inimagináveis", completaram. "Nenhuma desculpa ou elogios generosos podem mudar isso."

MD/efe/dpa/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais