Trezentas mil mortes e o fracasso do Brasil na pandemia | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 25.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Trezentas mil mortes e o fracasso do Brasil na pandemia

[Vídeo] País ultrapassa a marca sombria de 300 mil mortos pela covid-19, em meio à luta contra variante mais contagiosa e superlotação de hospitais. Após minimizar por mais de um ano o coronavírus, Jair Bolsonaro lança comitê de crise, e novo ministro da Saúde quer, mesmo sem imunizantes à disposição, vacinar 1 milhão de pessoas por dia.

Assistir ao vídeo 04:07

O Brasil ultrapassou a marca sombria de 300 mil mortos pela covid-19 nesta quarta-feira (24/03). O número foi atingido apenas 75 dias depois de o Brasil registrar 200 mil mortes e revela claramente o fracasso do país em combater o coronavírus. Neste momento, os brasileiros lutam para lidar com uma explosão de casos atribuída a uma variante mais contagiosa do vírus, quando hospitais de todo o país têm pouca ou nenhuma disponibilidade de leitos.

"O hospital não conseguiu vaga em nenhuma UTI. Por isso ele faleceu, por não ter UTI para entubar", afirma Cristiane Ferreira, que perdeu o tio para a covid-19.

Jair Bolsonaro anunciou que está lançando um comitê para lidar com a pandemia, o que sugere uma mudança de curso em meio à crescente pressão sobre uma crise que ele minimizou repetidamente. Ao longo de um ano, o presidente provocou aglomerações, desrespeitou especialistas sobre lockdowns, se manifestou contra o uso de máscaras e brecou a compra de vacinas. Bolsonaro chamou ainda a covid-19 de "gripezinha" e apoiou remédios sem eficácia comprovada contra o vírus.

Em sua primeira coletiva como ministro da Saúde, Marcelo Queiroga afirmou que a meta é triplicar a atual taxa de vacinação a curto prazo e passar a imunizar 1 milhão de pessoas por dia. "Atualmente nós vacinamos 300 mil indivíduos todos os dias. E o ministro da Saúde e o governo assumem o compromisso, a curto prazo, de aumentar pelo menos em três vezes essa velocidade de vacinação para 1 milhão de vacinas todos os dias. É uma meta que é plausível, eu digo a você que é plausível", afirmou.

O Brasil, por enquanto, não recebeu doses suficientes para vacinar 1 milhão de pessoas por dia. Especialistas afirmam que o país possui infraestrutura para imunizar a população, mas o grande problema é a falta de vacinas.