Três homens disputarão presidência do partido de Merkel | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 25.02.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Três homens disputarão presidência do partido de Merkel

Após o ex-ministro do Meio Ambiente Norbert Röttgen, ex-líder partidário Friedrich Merz e governador Armin Laschet anunciam candidatura à chefia da CDU. Cargo é trampolim para disputa da chefia de governo alemã.

Norbert Röttgen, Armin Laschet, Friedrich Merz e Jens Spahn: corrida de saco de homens na CDU, diz alegoria do Carnaval de Düsseldorf

Röttgen, Laschet, Merz e Spahn: "corrida de saco de homens na CDU", diz alegoria do Carnaval de Düsseldorf

Friedrich Merz, ex-líder da bancada parlamentar da União Democrata Cristã (CDU) – o partido da chanceler federal alemã, Angela Merkel –anunciou nesta terça-feira (25/02) que concorrerá à liderança da legenda, se colocando como possível candidato ao governo da Alemanha.

"Esta decisão é uma decisão sobre a direção da CDU", disse ele, em entrevista coletiva em Berlim. "Não é uma ruptura com o passado, mas um começo e uma renovação para o futuro. A CDU deve agora olhar para o futuro", afirmou.

Merz, ao mesmo tempo colega de partido e rival de longa data de Merkel, é o terceiro político da CDU a anunciar sua candidatura a presidente da sigla. Tradicionalmente, quem preside a CDU também é lançado como candidato a chancelar federal.

Tido como representante da ala mais à direita da CDU, Merz aproveitou o lançamento de sua candidatura para alfinetar Merkel. "Quando um governo perde o controle sobre a imigração em seu próprio país, não pode se surpreender ao perder a confiança da população", comentou, respondendo a um jornalista que fez uma pergunta sobre controle de fronteiras.

No mesmo dia, o governador da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, também anunciou que vai concorrer à chefia da CDU. Falando ao lado do ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, em uma entrevista coletiva em Berlim, Laschet disse que o partido atualmente se encontra "na maior crise de sua história".

Spahn, que também era considerado possível candidato, disse que não concorrerá e, em vez disso, atuará como vice de Laschet.

O partido vem lutando para encontrar uma nova liderança depois que a indicada pela própria Merkel como sua sucessora, Annegret Kramp-Karrenbauer, anunciou que deixaria o cargo , abrindo também mão da candidatura a chanceler federal.

O ex-ministro do Meio Ambiente Norbert Röttgen foi o primeiro a anunciar sua intenção de concorrer à liderança da CDU.

A escolha da nova liderança da CDU ocorrerá em um congresso do partido agendado para 25 de abril.

MD/dpa/rtr

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais