Tráfego no Canal de Suez volta à normalidade | Notícias internacionais e análises | DW | 03.04.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Tráfego no Canal de Suez volta à normalidade

Autoridades afirmam que os engarrafamentos gigantescos formados pelo encalhe do navio Ever Given foram liberados, e todas as embarcações bloqueadas cruzaram o canal.

Navio Ever Given após ser desencalhado no Canal de Suez

Com 400 metros de comprimento, o Ever Given ficou encalhado por quase uma semana no Canal de Suez

Os gigantescos engarrafamentos que se formaram nas duas pontas do Canal de Suez devido ao navio que ficou encalhado ali por quase uma semana foram totalmente liberados, e o comércio marítimo voltou à normalidade, informaram neste sábado (03/04) autoridades responsáveis pela via.

"Todos os navios que aguardavam no canal desde o encalhe do porta-contêineres panamenho Ever Given atravessaram [a via marítima]", anunciou o chefe da Autoridade do Canal de Suez, almirante Ossama Rabie, em comunicado.

O Canal de Suez é uma das principais artérias de transporte marítimo do mundo, que conecta Ásia e Europa e representa mais de 10% do comércio internacional.

Ao encalhar no canal em 23 de março, o navio Ever Given, de 400 metros de comprimento e capacidade de 200 mil toneladas, causou a paralisação total do tráfego nessa importante rota, num incidente sem precedentes em sua magnitude.

Ventos fortes, combinados com uma tempestade de areia, foram inicialmente sugeridos como causas do incidente, mas o chefe da Autoridade do Canal de Suez declarou posteriormente que "pode ter havido erros humanos ou técnicos".

Com ajuda de especialistas internacionais, o Ever Given foi finalmente retirado das margens de areia do canal na noite da última segunda-feira, 29 de março, e o tráfego entre o Mar Vermelho e o Mediterrâneo foi liberado para outras embarcações.

Ao todo, 422 navios, carregados com 26 milhões de toneladas de carga, segundo a Autoridade do Canal de Suez, haviam sido impedidos de passar por conta do encalhe, formando engarrafamentos enormes nas duas pontas do canal. Segundo a seguradora Allianz, cada dia de bloqueio da via marítima causou prejuízos entre 6 e 10 bilhões de dólares.

A entidade responsável pelo canal informou que as últimas 61 embarcações que ainda aguardavam para cruzar a rota conseguiram fazer a travessia neste sábado, além de outros 24 novos navios.

Para o almirante Rabie, a retomada da circulação, atingida em "tempo recorde", constitui uma "nova façanha" para o Egito. O Canal de Suez fornece uma das principais fontes de renda do país, ao lado do turismo e remessas de expatriados. O chefe da Autoridade do Canal de Suez afirmou que o Egito vai pedir uma indenização por danos de 1 bilhão de dólares.

ek (AFP, DPA, Efe, Lusa)

Leia mais