″Temos que mostrar que aprendemos as lições da pandemia″, diz Merkel | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 13.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

"Temos que mostrar que aprendemos as lições da pandemia", diz Merkel

Chanceler federal da Alemanha adverte que governos do bloco europeu precisam agir para frear avanço do vírus e assim impedir a imposição de novos confinamentos. 

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, descreveu nesta terça-feira (13/10) a recente onda de infecções por coronavírus em toda a Europa como "séria" e pediu que os países-membros da União Europeia (UE) aprendam com os erros cometidos quando a pandemia atingiu o continente no início deste ano.

A imposição de quarentenas severas fez com que o produto interno bruto (PIB) do bloco despencasse. "Temos que mostrar que aprendemos nossa lição", disse Merkel, advertindo que os governos devem tomar medidas para frear a doença com o objetivo de afastar a possibilidade da imposição de novos confinamentos.

"Temos que pedir ao povo da Europa que tenha cuidado, siga as regras, mantenha distância, cubra a boca e o nariz e faça o que estiver ao seu alcance para conter o vírus, mantendo a atividade econômica", acrescentou a chanceler alemã, durante uma reunião virtual com representantes do Comitê das Regiões Europeu.

O alerta de Merkel ocorre após a Organização Mundial da Saúde (OMS) apontar o registro de mais de 700.000 novos casos de covid-19 na Europa na semana passada – um recorde para o continente e um salto de 34% na contagem da semana anterior.

Paralelamente, o governador da Baviera afirmou que a Alemanha deve chegar a um acordo para novas regras nacionais com o objetivo de conter a propagação do vírus. Falando antes da reunião entre a chanceler Merkel e os governadores de todos os 16 estados alemães prevista para esta quarta-feira, Markus Söder disse que as próximas quatro semanas serão cruciais para que os alemães possam celebrar o Natal de maneira segura.

"Devemos agora definir o curso em conjunto, caso contrário, há um perigo de a situação sair do controle", disse.

Söder vem defendendo uma adoção mais ampla das máscaras, incluindo o uso obrigatório em elevadores, e uma redução na escala de grandes eventos.

A Alemanha registra taxas relativamente baixas de infecção e mortalidade em comparação com seus vizinhos europeus, mas o número de casos diários vem aumentando nas últimas semanas. Merkel alertou que o número de infecções pode chegar a 19.200 por dia se a tendência atual continuar.

Desde o início da pandemia, a Alemanha, o país com a maior população da União Europeia – com 83,5 milhões de habitantes –, contabiliza 329.453 casos de covid-19. Segundo os dados do Instituto Robert Koch (RKI), 9.634 pessoas morreram.

JPS/dpa/ots

Leia mais