Temer assume e divulga ministério | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 12.05.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Temer assume e divulga ministério

Vice-presidente recebe notificação sobre afastamento de Dilma e assume Presidência da República interinamente. Governo é reduzido em nove ministérios, e 21 nomes são divulgados.

O vice-presidente Michel Temer assumiu interinamente a Presidência da República nesta quinta-feira (12/05), após ser notificado sobre o afastamento da presidente Dilma Rousseff do cargo. Temer também oficializou a escolha de 21 ministros, que devem tomar posse ainda nesta quinta-feira.

Leia também: Temer, o enigmático cacique do PMDB
Leia também: O que esperar do governo Temer

Como presidente em exercício, o peemedebista passa a ter plenos poderes para nomear a equipe de governo e gerenciar o orçamento da União. Seu governo terá 23 ministérios, reduzindo em nove o número atual, de 32.

Temer decidiu recriar o Gabinete de Segurança Institucional e criou ainda o Ministério da Fiscalização, Transparência e Controle, fechando a Controladoria-Geral da União. Ele ainda não indicou nomes para os ministérios da Integração e de Minas e Energia.

Dilma foi afastada da Presidência da República nesta quinta-feira, depois de o Senado ter aprovado a admissibilidade do processo de impeachment, por 55 votos a favor e 22 contra. A suspensão pode durar até 180 dias, período em que Temer assume o cargo interinamente.

Temer recebeu a notificação do Senado e assumiu o cargo de presidente interinamente

Temer recebeu a notificação do Senado, assumindo a Presidência da República interinamente

A notificação sobre o afastamento da presidente foi entregue a Temer pelo senador Vicentinho Alves (PR-TO), primeiro-secretário do Senado, por volta das 11h30 desta quinta-feira.

Ao entrar no Palácio do Jaburu, residência oficial da vice-presidência, Alves revelou que não se sentiu constrangido com o papel histórico que lhe coube desempenhar. Segundo o senador, Temer "se comportou de forma muito elegante, foi muito receptivo e muito esperançoso".

O parlamentar também foi responsável por levar, mais cedo, a notificação a Dilma, comunicando a instauração do processo de impedimento por crime de responsabilidade.

Confira a lista dos 21 ministros anunciados:

Gilberto Kassab, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Raul Jungmann, ministro da Defesa

Romero Jucá, ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo

Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional

Bruno Araújo, ministro das Cidades

Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda

Mendonça Filho, ministro da Educação e Cultura

Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil

Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário

Leonardo Picciani, ministro do Esporte

Ricardo Barros, ministro da Saúde

José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente

Henrique Alves, ministro do Turismo

José Serra, ministro das Relações Exteriores

Ronaldo Nogueira de Oliveira, ministro do Trabalho

Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania

Mauricio Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Fabiano Augusto Martins Silveira, ministro da Fiscalização, Transparência e Controle (ex-CGU)

Fábio Osório Medina, Advocacia-Geral da União (AGU)

EK/abr/rtr/ots

Leia mais