Temer anuncia intervenção federal em Roraima | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 08.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Temer anuncia intervenção federal em Roraima

Medida busca conter crise institucional gerada com a paralisação de policiais, bombeiros e agentes penitenciários no estado, que estão há meses sem receber. Intervenção ficará em vigor até 31 de dezembro.

Michel Temer

Temer afirmou que intervenção federal é a única solução possível para o estado

O presidente Michel Temer anunciou nesta sexta-feira (07/12) uma intervenção federal em Roraima até 31 de dezembro. A medida procura conter a crise institucional gerada depois de policiais, bombeiros e agentes penitenciários deflagrarem uma paralisação.

Segundo Temer, a intervenção federal foi a única saída encontrada para o problema. "A governadora [Suely Campos] acha que de fato a situação está se complicando e que a melhor solução seria essa. Com isso queremos pacificar as questões de Roraima”, disse em breve pronunciamento.

Os agentes de segurança resolveram paralisar as atividades por 72 horas devido aos meses de salários atrasados. Por não poder fazer greve, os policiais militares contaram com apoio de suas esposas que bloquearam a entrada e saída dos batalhões.

Logo após anúncio da paralisação, diante dos riscos de rebelião nas penitenciárias de Roraima, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, já havia solicitado nesta sexta-feira uma intervenção federal urgente.

Temer convocou para o sábado uma reunião dos Conselhos da Defesa Nacional e da República para tratar da questão, como determina a lei. A intervenção precisa ainda do aval do Congresso. O governador eleito Antonio Denarium (PSL) deve ser nomeado como interventor.

Uma intervenção parcial na área de segurança do estado já havia sido decretada no mês passado, devido à crise penitenciária. Em janeiro de 2017, uma rebelião na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo deixou 33 mortos.

O estado enfrenta ainda uma crise migratória, causada pela entrada de milhares de venezuelanos no país, que fogem da escassez de alimentos, medicamentos e produtos básicos que assola a Venezuela.

Roraima é a principal porta de entrada de refugiados venezuelanos no Brasil. Estima-se que 500 pessoas dessa nacionalidade entrem por dia no país pela fronteira com o estado. A ONU estima que 85 mil venezuelanos entraram no Brasil desde 2015.

Em agosto a violência contra migrantes tomou conta da cidade de Pacaraima, no norte do estado, onde moradores destruíram um acampamento de venezuelanos e expulsaram de forma violenta mais de mil imigrantes do município, que fica na fronteira entre o Brasil e a Venezuela. Depois do conflito, Temer autorizou o uso das Forças Armadas para reforçar a segurança em Roraima.

CN/abr/rtr/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais