Talibã ataca hotel que serve de base para estrangeiros em Cabul | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 01.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Talibã ataca hotel que serve de base para estrangeiros em Cabul

Militantes do Talibã explodem caminhão-bomba e trocam tiros com forças de segurança em complexo que acolhe civis e militares estrangeiros na capital do Afeganistão. Estabelecimento já havia sido alvo de ataque em 2013.

Um policial morreu e outros três ficaram feridos na madrugada desta segunda-feira (01/08) após um ataque suicida contra um hotel onde residem estrangeiros em Cabul. Os rebeldes explodiram um caminhão-bomba e, depois, trocaram tiros por sete horas contra as forças de segurança. Três extremistas morreram.

O chefe do Departamento de Investigação Criminal de Cabul, Faraidon Obaidi, afirmou que o ataque terminou no início da manhã depois que as autoridades conseguiram abater dois insurgentes que haviam se entrincheirado.

"Como resultado do tiroteio, um policial morreu e outros três ficaram feridos. Não houve mais vítimas na área", frisou Obaidi, acrescentando que no complexo havia vários estrangeiros, mas nenhum deles ficou ferido.

O hotel Northgate, que acolhe civis e militares estrangeiros que trabalham para as tropas destacadas na operação sob a bandeira da Otan, está protegido por muros elevados e torres de vigilância.

Em sua página na internet, o estabelecimento diz que aplica as mais restritas regras de segurança, como treinamento militar prévio para todos seus guardas privados.

O grupo jihadista reivindicou o atentado e afirmou em comunicado que o ataque começou com a detonação de um caminhão-bomba em frente ao hotel, onde estavam hospedados "invasores americanos".

"Depois que as cercas de segurança foram destruídas pela explosão, vários mujahedins armados com armas leves e lança-foguetes entraram no local e realizaram um ataque contra os inimigos", diz o texto.

O local já havia sido palco de um ataque dos talibãs em junho de 2013, quando cinco homens-bomba conseguiram entrar na área, matando nove pessoas antes de serem mortos pelos agentes de segurança.

A ONU contabilizou um número recorde de mortos e feridos no Afeganistão no primeiro semestre de 2016, o que reflete a degradação da segurança no país. Em seis meses houve 1.601 mortos e 3.565 feridos, sendo que um terço deles eram crianças.

FC/efe/lusa

Leia mais