Túnel de fuga sob muro de Berlim é aberto ao público | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 08.11.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Alemanha

Túnel de fuga sob muro de Berlim é aberto ao público

Passagem subterrânea foi construída a partir do lado ocidental na década de 1970 por berlinenses que tinham fugido do regime comunista anos antes. Esse é o primeiro túnel deste tipo aberto à visitação na cidade.

Pessoas fotografam antigo túnel debaixo do muro de Berlim

Túnel debaixo do muro de Berlim foi aberto ao público pela primeira vez

Um túnel construído debaixo do muro de Berlim, utilizado para a fuga da Alemanha Oriental para a Ocidental, foi aberto ao público pela primeira vez nesta quinta-feira (07/11), na ocasião das comemorações dos 30 anos da queda da barreira que dividiu por 28 anos a capital alemã.

Próximo ao maior memorial do muro de Berlim, na rua Bernauer, o túnel foi inaugurado pelo prefeito da cidade, Michael Müller. Ele agradeceu as pessoas que iniciaram a obra improvisada de 100 metros de comprimento no final de 1970, nove anos depois da fronteira entre as duas Alemanhas ser selada pelo regime comunista.

"É ótimo ver que a batalha pela liberdade também foi realizada debaixo da terra", disse o prefeito. "Podemos vivenciar autenticamente a coragem das mulheres e homens que tentaram levar pessoas à liberdade e resistiram ao regime da Alemanha Oriental", destacou.

O túnel foi construído por um grupo de pessoas que havia fugido anteriormente para Berlim Ocidental. Eles queriam ajudar familiares e amigos a se juntar a eles no lado oeste. Entretanto, dias antes de concluírem as escavações, alguém alertou as autoridades, que utilizaram equipamentos de ultrassom para localizar a passagem e o túnel foi parcialmente destruído.

Vista de túnel original

Túnel original é tão estreito que as pessoas que o construíram podiam apenas caminhar agachadas

Nos 28 anos em que a cidade esteve dividida, mais de 70 túneis foram construídos debaixo do muro de 156,4 quilômetros de extensão, permitindo a fuga de cerca de 300 pessoas, segundo a associação Berliner Unterwelten ("Submundos de Berlim", em tradução livre), que realiza passeios turísticos nos bunkers e túneis históricos da capital.

A maioria dos túneis foi escavada a partir do leste. A região da rua Bernauer, no bairro de Mitte, era um dos locais mais visados para construções subterrâneas em razão do solo argiloso. Ali, foram construídos sete túneis sob o muro em um trecho de 350 metros. Muitos destes foram descobertos pela Stasi, a polícia secreta da Alemanha Oriental, ou entraram em colapso antes de serem utilizados.

Assistir ao vídeo 02:39

Ex-informante diz que colaborou com a Stasi pelo "antifascismo"

O túnel inaugurado na rua Bernauer pode ser acessado por um túnel de acesso construído pela Berliner Unterwelten. Através de duas janelas a 7,5 metros de profundidade, os visitantes podem observar o túnel, onde não é possível entrar. O local é tão estreito que as pessoas que o construíram podiam apenas caminhar agachadas.

A escavação começou no porão de um edifício no lado ocidental até outro prédio no lado oriental. Ulrich Pfeifer, um engenheiro civil que participou da construção do túnel original, havia fugido para Berlim Ocidental através o esgoto poucas semanas após o muro ser erguido em agosto de 1961.

Ele criou as plantas e fez os cálculos para a construção da rota de fuga subterrânea. "Como berlinense, esse muro era algo inconcebível" disse Pfeifer, hoje com 84 anos. "Separava famílias. Dividia todos nós."

Pfeifer atribui a determinação da construção do túnel à condenação de sua namorada, que recebeu pena de sete anos de prisão. "Ela tinha 22 anos e foi condenada por uma mera tentativa de fuga", contou.

Cerca de 140 pessoas morreram tentando fugir de Berlim Oriental. Não se sabe ao certo quantos morreram tentando atravessar túneis subterrâneos.

RC/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados