Suécia amanhece com mais de cem carros incendiados | Notícias internacionais e análises | DW | 14.08.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Suécia amanhece com mais de cem carros incendiados

Ataques por grupos de encapuzados se concentraram em Gotemburgo. "Isso me deixa realmente furioso, a sociedade vai reagir com dureza", diz primeiro-ministro.

Maior parte dos ataques ocorreu em Gotemburgo, a segunda maior cidade de Suécia

Maior parte dos ataques ocorreu em Gotemburgo, a segunda maior cidade de Suécia

Grupos de jovens encapuzados e mascarados incendiaram e danificaram mais de cem veículos durante a madrugada desta terça-feira (14/08) em várias cidades da Suécia. A maior parte das ações ocorreu em Gotemburgo, a segunda maior cidade do país, onde 80 veículos foram queimados.

Também foram registrados atos de destruição na capital, Estocolmo, e em Uppsala. Em Trollhättan, na região metropolitana de Gotemburgo, vários jovens lançaram pedras contra a polícia. As imagens foram divulgadas por televisões do país. Não houve registro de feridos.

Dois jovens, um de 16 anos e outro de 21, foram presos nesta terça-feira por suspeita de envolvimentos nos incêndios.

A motivação dos ataques ainda não foi esclarecida. As autoridades suecas acreditam que as ações em diversos pontos do país estão relacionadas e que foram organizadas por meio de redes sociais. O governo ainda apontou a participação de gangues nos ataques.

"Isso me deixa realmente furioso. A sociedade vai reagir com dureza. Parece algo bem coordenado, quase uma operação militar”, disse o primeiro-ministro sueco, o social-democrata Stefan Lofven.

Os episódios ocorrem em um momento especialmente sensível na Suécia. O país vai passar por eleições legislativas em menos de um mês. O resultado parece por enquanto indefinido. Episódios de violência no país têm sido especialmente explorados por partidos de direita, como os Democratas Suecos, que, segundo pesquisas, devem se tornar a segunda maior força do Parlamento. 

Em 2013, uma onda de incêndios a carros por grupos de jovens encapuzados também atingiu a Suécia. As ações criminosas se concentraram especialmente em subúrbios habitados por imigrantes de baixa renda.

Além da violência, os eleitores suecos têm demonstrado preocupação com a manutenção dos sistemas de educação e de bem-estar social do país, além dos efeitos na sociedade da onda de imigração em massa de 2015, quando mais de 150 mil pessoas pediram refúgio na Suécia. 

JPS/efe/rt

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube |
 WhatsApp | App | Instagram

Leia mais