STF suspende operação da PF no Senado | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 27.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

STF suspende operação da PF no Senado

Em liminar, ministro Teori Zavascki remete processo para o Supremo Tribunal Federal. Operação Métis, que prendeu quatro policiais legislativos, apura tentativa de obstruir investigações de parlamentares na Lava Jato.

Brasilianischer Minister Teori Zavascki (picture-alliance/AP Photo/E. Peres)

Ao emitir a liminar, ministro Teori Zavascki acatou pedido de um dos policiais presos na operação

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a suspensão, nesta quinta-feira (27/10), da Operação Métis, deflagrada pela Polícia Federal (PF) no Senado na semana passada. A decisão ainda transfere o processo da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília, para o STF.

Na última sexta-feira, a operação prendeu quatro policiais legislativos, incluindo o diretor da Polícia do Senado, Pedro Carvalho. Eles são suspeitos de obstruir as investigações da Operação Lava Jato ao prestar serviços de contrainteligência para ajudar senadores e ex-senadores investigados.

Na liminar, Teori ainda determina a soltura imediata de pessoas eventualmente mantidas presas em decorrência do inquérito, mas os quatro detidos na semana passada já haviam sido libertados.

A decisão do ministro segue um pedido do policial Antônio Tavares, um dos presos pela PF. Na terça-feira, ele solicitou que o STF anulasse a operação, argumentando que a ação da Polícia Federal, determinada pela 10ª Vara da Justiça Federal, usurpou a competência do Supremo ao autorizar a prisão de policiais legislativos e a busca e apreensão nas dependências do Senado Federal.

"Diante da relevância dos fundamentos da reclamação, é de se deferir medida liminar para que esta Suprema Corte, tendo à sua disposição o inteiro teor das investigações promovidas, possa (...) decidir acerca da usurpação ou não de sua competência", afirma Teori na decisão.

No documento, o ministro diz ainda que ficou demonstrada a intenção da operação de investigar senadores, que por terem foro privilegiado só podem ser investigados com autorização do STF.

Após criticar com veemência a ação da Polícia Federal na última semana, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), cumprimentou a Corte pela liminar emitida nesta quinta-feira.

"A decisão do ministro Teori Zavascki é uma demonstração de que não podemos perder a fé na Justiça e na democracia, e que o funcionamento harmônico das instituições é a única garantia do Estado Democrático de Direito", destacou o senador em comunicado.

EK/abr/efe/ots

Leia mais