Solidariedade é trunfo para os idosos na Itália | Notícias internacionais e análises | DW | 18.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Solidariedade é trunfo para os idosos na Itália

Itália é o país da Europa mais atingido pela covid-19, com quase 3 mil mortes. O estado de emergência é especialmente duro para os idosos, privando-os também da interação social. E aí o papel dos voluntários é essencial.

Marta Ciucci, de San Leo, é uma das voluntárias que ajudam os idosos na Itália

Marta Ciucci, de San Leo, é uma das voluntárias que ajudam os idosos na Itália

Assim como outras zonas em rápido processo de aristocratização no leste de Roma, o bairro ascendente de Pigneto tem duas almas que coexistem, mas raramente se misturam.

Há os moradores de longa data das casas populares construídas décadas atrás, que ficam sentados nos bares locais ou leem jornal nos bancos das áreas de pedestres. Quando o coronavírus começou a se espalhar do Norte da Itália para o resto do país, eles foram os primeiros a desaparecer de vista, já que o governo aconselhou os cidadãos mais idosos a ficarem em casa.

E há os jovens artistas, criativos e freelancers que em geral povoam os bares e cafés do bairro. De início eles tentaram seguir a vida normalmente, enquanto uma Itália perplexa tentava se adaptar à necessidade de suspender todos os contatos sociais. Um estado de emergência estrito foi imposto em 11 de março, com o fechamento de todas as lojas e serviços não essenciais.

Força de voluntários em Roma

No país que é o mais duramente atingido pela covid-19 na Europa, com quase 3 mil mortes, embora mantendo esses dois grupos fisicamente separados entre si, a moléstia de certa forma também os aproximou.

Jovens entre 25 e 30 anos, da associação cultural local Sparwasser, estabeleceram uma iniciativa para ajudar, com compras e outras tarefas, os residentes mais idosos, os que estão submetidos às regras de autoisolamento mais rigorosas. Em breve outros grupos em Roma e outras partes do país seguiram o exemplo.

"Lançamos uma chamada para voluntários do bairro antes do estado de emergência, quando os idosos eram aconselhados a permanecer em casa, mas víamos ainda muita gente na rua", conta Diana Armento, de 30 anos, uma das coordenadoras do projeto. "Em apenas três dias, mais de 200 se apresentaram. Saltamos de quatro a cinco chamadas por dia para 20 ou mais", lembra a funcionária de uma editora.

Em geral os voluntários são designados para um idoso que more próximo, tanto para monitorar seus movimentos, em caso de contágio, como para assegurar que o voluntário não tenha que ir muito longe para entregar as compras.

"Também tentamos manter inalterados os hábitos da pessoa, indo ao seu supermercado preferido, ou perguntando que marcas ela prefere", prossegue Armento. Não há contato físico entre os voluntários e os assistidos, pois as compras e qualquer troco que sobre são deixados na soleira da porta. "Muitos realmente querem ver seu rosto, gostariam de poder lhe abraçar. Em vez disso, eles saem para a varanda."

Sparwasser

Associação cultural Sparwasser lançou iniciativa para ajudar o idosos

Segundo ela, entre os idosos há uma necessidade de se comunicar. "Ao telefone, dá realmente para sentir que eles querem falar. Eles passam o dia todo diante da televisão, e ou ficam assustados, ou não acreditam no que está acontecendo. Eu conheço uma senhora que passa o dia todo rezando, pensando que é uma punição de Deus."

Outros grupos de voluntários da capital italiana e mais além estabeleceram iniciativas semelhantes. "Há uma necessidade enorme, e as autoridades locais sozinhas não têm capacidade para reagir de acordo", revela Alberto Campailla, que dirige uma associação para prover assistência legal e material aos romanos pobres, inclusive acesso a bancos de alimentos.

Seus voluntários estão agora entregando comida em Ciampino, nas cercanias de Roma, enquanto a associação procura formas de manter sua distribuição de alimentos com entregas a domicílio. Autoridades da capital estabeleceram linhas de assistência telefônica e grupos de Facebook onde os cidadãos encontram informações relevantes e iniciativas locais.

Solidariedade do Sul ao Norte

Em Biccari, uma localidade da região de Apúlia, no sul do país, 2.800 moradores vivem em contato estreito. Crianças jogam na praça municipal, e os mais velhos se sentam do lado de fora dos bares, enquanto passantes param para conversar com os comerciantes.

"Aqui há um senso forte de comunidade", comenta o prefeito Gianfilippo Mignogna. "Cada encontro é pretexto para uma saudação, uma pergunta. A interrupção de todo contato é muito sentida."

A cidade tem um número de telefone para os idosos que necessitem ajuda com compras de mercearia, medicamentos ou outras tarefas. O serviço iniciado por uma cooperativa de 200 membros é agora patrocinado pela municipalidade.

Embora não haja casos conhecidos de covid-19 entre os moradores, há apreensão sobre o que aconteceria se a enfermidade chegasse a Biccari: o hospital mais próximo fica a 30 quilômetros, em Foggia, e o sistema de saúde do Sul da Itália não é tão eficiente como no Norte.

Em San Leo, uma aldeiazinha com uma fortaleza medieval no norte do país, pousada no topo de uma trilha montanhosa na região setentrional de Emília-Romanha, uma das mais afetadas, solidariedade numa comunidade extremamente coesa ajuda os idosos a suportarem o isolamento.

"Começamos entregando compras e remédios, mas no outro dia alguém queria umas palavras cruzadas, e a banca de jornais local estava fechada", conta Marta Ciucci, que mantém uma cooperativa de turismo. A arquiteta de 32 anos observa que as quatro lojas que ficaram abertas no centro histórico, onde só vivem umas cem pessoas, estão operando principalmente à base de crédito. "A ideia é assegurar que todo mundo saiba que há gente aqui disponível e disposta a ajudar", disse.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais