1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Lyman
Imagem aérea de Lyman. Russos têm concentrado suas ofensivas no leste da UcrâniaFoto: Maxar Technologies/REUTERS

Russos tomam cidade estratégica no leste da Ucrânia

28 de maio de 2022

Ministério da Defesa da Rússia afirma que Lyman está sob controle das tropas russas. Assessor de Zelenski afirma que russos parecem estar melhorando suas táticas e operações após fracassos no início da invasão.

https://p.dw.com/p/4Bza7

O Ministério da Defesa da Rússia informou neste sábado (28/05) que a cidade ucraniana de Lyman está sob o controle das forças russas.

O anúncio foi feito um dia após os separatistas da autoproclamada República Popular de Donetsk, apoiados pela Rússia, afirmarem que haviam capturado totalmente a cidade do Leste da Ucrânia. A localidade é pequena, com apenas 20 mil habitantes, mas é considerada um importante entroncamento ferroviário a oeste de Sievierodonetsk.

A tomada pode abrir caminho para a contiunação do avanço russo para grandes cidades como Sloviansk, que Kiev tomou dos separatistas pró-Rússia em 2014, e Kramatorsk, capital da região de Donetsk (leste), que ainda se mantém sob controle ucraniano.

Após uma série de ofensivas malsucedidas contra Kiev e Kharkiv (nordeste) no início da guerra, as forças russas passaram a se concentrar no leste da Ucrânia para controlar a área do Donbass, que desde 2014 está parcialmente sob o controle de separatistas apoiados por Moscou.

Após a divulgação da queda de Lyman, autoridades ucranianas afirmaram estar fazendo "todo o possível" para defender a região do Donbass. "A situação em Donbass é muito, muito difícil", disse o presidente ucraniano Volodimir Zelenski. "Protegemos a nossa terra e fazemos tudo para reforçar" a defesa desta região, disse.

Zelenski ainda afirmou que "se os ocupantes pensam que Lyman e Severodonetsk serão deles, estão errados". "O Donbass será ucraniano", reiterou.

Um chefe de polícia da república separatista pró-Rússia de Lugansk, citado pela agência Ria Novosti, disse que "a cidade de Severodonetsk está atualmente cercada" e que as forças ucranianas estão presas. Mas o governador de Lugansk, Sergei Gaidai, assegurou pelo Telegram que é um erro dizer que a região ficará sob "controle total do inimigo russo" em "um, dois ou três dias".

O assessor da Presidência da Ucrânia, Oleskiy Arestovych, por sua vez, afirmou que o ataque a Lyman demonstrou que os militares de Moscou, após falharem na tenativa de tomar a capital Kiev em março, estão melhorando suas táticas e operações.

"De acordo com dados não verificados, perdemos a cidade de Lyman", disse Arestovych, apontando que o ataque foi bem organizado. "Isso mostra, em princípio, o aumento do nível de gerenciamento operacional e habilidades táticas do Exército russo."

Já o governador ucraniano da região de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, disse que Lyman estava sendo "controlada principalmente por tropas russas", mas que os militares ucranianos assumiram novas posições fortificadas na área.

No momento, forças russas estão tentando cercar as tropas ucranianas nas cidades de Sievierodonetsk e Lyshchansk, depois de romper as linhas ucranianas mais ao sul na cidade de Popasna na semana passada.

Segundo um relatório de inteligência do Reino Unido, a conquista de Lyman deve servir como preparação para a próxima fase da ofensiva russa no Donbass, servindo de trampolim para ofensivas contra outras cidades ainda controladas pela Ucrânia, como Sloviansk e Kramatorsk.

O exército russo também está atacando Severodonetsk, segundo informações do governador da província de Lugansk, Sergei Gaidai. Segundo Gaidai, a cidade corre o risco de sofrer o mesmo destino de Mariupol, que foi devastada após semanas de cerco.

O prefeito de Severodonetsk, Oleksandr Striuk, disse à agência de notícias Associated Press que "a cidade está sendo sistematicamente destruída - 90% dos prédios da cidade estão danificados".

jps (AFP, Reuters, AP)