Roteiro de três dias em Dresden | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 25.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Roteiro de três dias em Dresden

Além de abrigar um dos mais belos conjuntos arquitetônicos da Alemanha, capital da Saxônia é polo econômico e centro cultural pulsante no coração da Europa. Confira dicas do que ver na cidade.

Dresden (Fotolia/SeanPavonePhoto)

Centro histórico de Dresden é um dos conjuntos arquitetônicos barrocos mais belos da Europa

Muitos acreditam que um dia seja suficiente para conhecer o que a capital da Saxônia tem a oferecer. Ledo engano, pois Dresden e seus entornos estão entre as regiões mais belas do continente europeu. Sendo assim, uma visita de três dias inteiros está de bom tamanho.

Se estiver vindo de trem a partir de Berlim ou Praga, você vai vivenciar uma viagem inesquecível pelo Vale do Elba, rio que banha a metrópole saxã, ladeado por castelos e mansões.

Assim como Munique, Dresden foi capital de um reino, que teve em figuras como Augusto, o Forte e seu filho Frederico Augusto 2° grandes incentivadores das artes. A eles se devem muitos dos edifícios e coleções de renome mundial dos diversos museus da cidade. Sem esquecer também daquele que é ainda hoje um produto de exportação da Saxônia: a porcelana.

Em Dresden, o visitante poderá admirar um dos mais belos conjuntos arquitetônicos barrocos da Europa. No entanto, muito do que você está vendo foi reconstruído após a destruição completa da cidade por bombardeios aliados nos últimos meses da Segunda Guerra Mundial.

A capital da Saxônia não é somente história, mas também um polo econômico e um centro cultural pulsante no coração da Europa. Além disso, em seu entorno se encontra uma das paisagens naturais mais belas da Alemanha: o Parque Nacional da Suíça Saxônica, uma visita imperdível.

1° Dia: Centro histórico e passeio pelo Elba

Começando o dia com um passeio pelo centro histórico de Dresden, você entenderá por que a cidade é chamada de Florença do Elba e por que seu entorno e silhueta inconfundíveis já foram cantados em verso e prosa e eternizados por pintores como Canaletto e Caspar David Friedrich.

Começando pela praça Theaterplatz, o primeiro prédio a lhe chamar atenção deverá ser certamente a ópera Semperomper, um edifício neobarroco onde nada menos que compositores como Richard Wagner fizeram suas estreias. A estátua equestre no meio da praça é do rei Johann.

Do outro lado da praça, você verá a Hofkirche, uma igreja católica em estilo rococó com uma marcante torre de 90 metros de altura. Vale a pena dar uma olhada no interior. O prédio classicista na esquina da praça é outra joia arquitetônica, a Altstädter Wache foi construída no século 19 como estação de polícia e abriga hoje um centro de informações turísticas e um café.

Na praça Schlossplatz, fica outro cartão-postal de Dresden: a ponte barroca Augustusbrücke, construída por Augusto, o Forte, interligando o centro histórico ao bairro de Neustadt.

Continue ao longo do terraço Brühlsche Terrasse. Além da vista espetacular sobre a cidade e o vale do rio Elba, você poderá tomar um café antes de prosseguir pelo passeio de 500 metros de comprimento ladeado por prédios históricos, como a Kunstakademie (Academia de Belas-Artes), com sua cúpula de vidro.

No final do terraço, você passará pelos jardins Brühlscher Garten. Desça a escadaria sinuosa até a entrada da antiga fortaleza Festung Dresden. Depois de passar pelo museu Albertinum, com sua famosa coleção de pinturas e esculturas, volte pela Salzgasse em direção à igreja Frauenkirche. Esse importante símbolo da cidade foi completamente destruído na Segunda Guerra e reinaugurado em 2005, após a reconstrução, pedra por pedra, com a ajuda de doações de todo o mundo.

Antes de prosseguir seu passeio, você poderá almoçar num dos muitos restaurantes da área em torno da Frauenkirche na praça Neumarkt, onde você verá uma estátua de Martinho Lutero.

Aproveite a tarde para conhecer Dresden, suas pontes e edifícios históricos a partir de outra perspectiva: num passeio de barco sobre o rio Elba. Abaixo do terraço Brühlsche Terrasse se encontra um ponto de embarque. Há tours de barcos com diferentes tipos de duração. Além da vista sobre o centro histórico da cidade, você também poderá se deleitar com o bairro de mansões de Loschwitz, passando por palácios e sob as famosas pontes do Elba.

2° Dia: Museus e Neustadt

Reserve a manhã do segundo dia para conhecer no centro histórico um dos mais importantes conjuntos de museus da Europa: o Residenzschloss (Palácio Real) e o Zwinger.

Partindo da praça Neumarkt, ao longo da rua Augustusstrasse, você irá se deparar com o famoso painel Fürstenzug (Procissão de Príncipes). Os seus cem metros de comprimento e 25 mil azulejos de porcelana Meissen contam a história de quase 800 anos de soberanos da dinastia Witten.

Assistir ao vídeo 04:51
Ao vivo agora
04:51 min

Três dicas imperdíveis do que visitar em Dresden

A entrada no complexo renascentista é feita pelo portão Georgentor. Você chegará então ao Stallhof, uma das mais antigas praças de torneio ainda preservadas. O Palácio Real abriga o Kupferstichkabinett, uma das mais importantes coleções de gravuras do mundo com originais de Dürer, Rembrandt e Caspar David Friedrich.

Imperdível é uma visita à Grünes Gewölbe ou Abóbada Verde. Entre 1723 e 1729, Augusto, o Forte transformou a sala do tesouro num museu para as joias da coroa. No espaço – que ficou conhecido por Grünes Gewölbe (Abóbada Verde), devido à cor das paredes – o monarca reuniu uma das coleções de joias reais mais valiosas da Europa, além de peças de marfim, bronze e pedras preciosas.

Há também o gabinete de moedas Münzkabinett e o gabinete de armaduras Rüstkammer. O museu fecha às terças-feiras. Para visitar a parte histórica da Grünes Gewölbe no térreo é preciso comprar o ingresso com hora marcada, já que o número de visitantes é limitado a cerca de cem pessoas por hora.

Bem próximo ao Palácio Real está o Zwinger, um dos mais importantes testemunhos do barroco europeu. Seu nome remonta a uma antiga fortaleza, mas hoje os prédios desta obra de arte total abrigam uma das mais importantes coleções de pintura e escultura da Alemanha. Ali está, por exemplo, a Madona Sistina, uma das atrações de Dresden, pintada por Rafael Sanzio.

Para a tarde, um programa menos histórico, mas igualmente interessante: conhecer o movimentado bairro de Neustadt (cidade nova). A partir da praça Alaunplatz, desça a rua Alaunstrasse até a galeria Kunsthofpassagen, composta de cinco pátios com diferentes lojas, bares e clubes.

Continue pela Görlitzer Strasse e depois pegue à esquerda na Louisenstrasse e, depois, à direita na Pulsnitzer Strasse, onde você passará pelo antigo cemitério judeu (Alter Jüdischer Friedhof) e pela igreja Martin-Luther-Kirche. Virando à esquerda na rua Bautzner Strasse, você chegará à Pfundsmolkerei, a "mais bela leiteria do mundo". Adornada com azulejos art nouveau, ela atrai inúmeros turistas que vão ao local comprar leite, queijo, chocolate e outros produtos.

Com seus muitos bares, restaurantes e clubes, Neustadt se tornou o local ideal para sair à noite. Como o bairro foi menos bombardeado que o centro de Dresden, o seu conjunto arquitetônico do fim do século 19 é um convite a um passeio também durante o dia. Outra atração do bairro é a ousada ampliação do Museu Histórico Militar (Militär Historisches Museum), assinada por Daniel Libeskind, arquiteto do Ground Zero em Nova York.

3° Dia: Passeios e Suíça Saxônica

Há várias formas de aproveitar o seu último dia em Dresden: no bairro de Loschwitz, você pode pegar o Schwebebahn (trem elevado) até Oberloschwitz. Outra opção é conhecer a Gläserne Manufaktur (Manufatura Envidraçada), onde os visitantes podem observar em pequenos grupos a montagem de carros elétricos da Volks. O antigo prédio da fábrica de cigarros Yenidze, com sua arquitetura oriental, também é outra atração arquitetônica da cidade.

A Saxônia é também o berço da porcelana europeia, cuja fabricação foi descoberta por um alquimista a encargo de Augusto, o Forte. A noroeste de Dresden se encontra a cidade de Meissen e sua famosa fábrica do produto que ficou conhecido como "ouro branco".

Para quem gosta de natureza, um passeio ao Parque Nacional da Suíça Saxônica (Sächsiche Schweiz) é imperdível. A beleza da região montanhosa já inspirou pintores como Caspar David Friedrich. A área possui centenas de trilhas, oferecendo condições ideais para caminhadas e prática de rapel.

A ponte Bastei possibilita aos visitantes uma vista espetacular sobre as rochas e já é uma atração turística há quase 200 anos. A fortaleza Festung Königstein e o centro histórico da cidade de Pirna são outras boas opções para quem visita a região da Suíça Saxônica.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados