Robert Menasse recebe Prêmio Alemão do Livro de 2017 | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 09.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Robert Menasse recebe Prêmio Alemão do Livro de 2017

Escritor austríaco é agraciado com o prêmio máximo da literatura alemã pelo romance "Die Hauptstadt", que tem a União Europeia como pano de fundo.

Livro de Menasse tem como cenário a União Europeia

Livro de Menasse tem como cenário a União Europeia

O romance Die Hauptstadt (A capital, em tradução livre), do escritor austríaco Robert Menasse, foi agraciado nesta segunda-feira (09/10) com o Prêmio Alemão do Livro de 2017, maior premiação literária da Alemanha.

Bruxelas foi o cenário escolhido por Menasse para o seu romance. A UE, suas contradições, complexidades e burocracia são elementos centrais da obra. No livro, o autor traça ainda um panorama reluzente da elite europeia por meio de seus personagens, cujas histórias se entrelaçam.

Die Hauptstadt concorreu com mais de 200 obras

"Die Hauptstadt" concorreu com mais de 200 obras

De acordo com o júri, a obra entrelaça de uma maneira perfeita questões essenciais do privado e da política. Os jurados destacaram o lado humano da obra para sustentar a escolha: o livro deixa claro que "a economia por si só não pode garantir um futuro pacífico".

Pelo prêmio máximo da literatura alemã, anunciado nas vésperas da Feira do Livro de Frankfurt, o autor de 63 anos receberá 25 mil euros. O livro de Menasse concorria com mais de 200 títulos lançados em Alemanha, Áustria e Suíça.

Menasse nasceu em Viena em 1954 em uma família judia. Ele é um defensor da Europa supranacional e escreveu vários ensaios e livros sobre ideias europeias. O austríaco foi professor visitante no Brasil entre 1981 e 1988, e publicou duas obras que se passam no país: Espelho cego e A certeza sensível.  

O Prêmio Alemão do Livro é o mais importante da literatura alemã e é entregue desde 2005. No ano passado, o escritor Bodo Kirchhoff foi o vencedor com o romance Widerfahrnis.

CN/afp/dpa

Leia mais