Republicano lança candidatura independente para deter Trump | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Republicano lança candidatura independente para deter Trump

Ex-agente da CIA, Evan McMullin diz que os americanos merecem mais do que magnata e Hillary Clinton têm a oferecer. Imprensa dos EUA recebe anúncio com ceticismo

O republicano Evan McMullin anunciou nesta segunda-feira (08/08) que vai lançar uma candidatura independente à Presidência dos Estados Unidos com o objetivo de atrair conservadores insatisfeitos com a escolha do empresário Donald Trump como candidato do partido. Ex-agente da CIA (a agência de inteligência dos EUA), McMullin tem 40 anos e segue a religião mórmon.

Segundo a imprensa americana, ele não possui experiência política de peso. O cargo de maior destaque que ocupou na área foi como assessor de política para deputados do Partido Republicano na Câmara dos Representantes.

“Neste ano em que os americanos perderam a fé nos candidatos dos dois grandes partidos, é hora de surgir uma nova geração de dirigentes. Os Estados Unidos merecem algo melhor do que Donald Trump e Hillary Clinton nos oferecem. Apresento-me humildemente como um líder que pode dar uma opção para milhões de conservadores descontentes”, anunciou Evan McMullin em sua conta no Facebook.

De acordo com o canal ABC, a candidatura de McMullin está recebendo apoio de uma organização chamada “Melhor para os Estados Unidos”, financiada por um grupo de republicanos que se opõem a Trump.

A imprensa americana encarou o anúncio com ceticismo, apontando que McMullin é pouco conhecido entre os eleitores americanos, o que lhe dá poucas possibilidades de se transformar em uma alternativa viável a Trump.

O The New York times, por exemplo, afirma que o candidato já perdeu o prazo para se inscrever em pelo menos 12 estados e, portanto, deve ficar de fora das cédulas. Segundo o jornal, o maior impacto que McMullin pode provocar é tirar alguns votos de Trump no estado de Utah, que tem uma população mórmon considerável.

Por enquanto, o ex-agente da CIA foi o único membro do partido a formalizar uma candidatura alternativa com o objetivo de bater de frente com Trump, após meses de rumores sobre outras opções que poderiam ser lançadas pelos republicanos.

Trump conquistou no mês passado a candidatura do partido na Convenção Nacional Republicana em Cleveland, em uma cerimônia que foi boicotada por algumas das principais figuras da sigla.

Leia mais