Reino Unido vai banir Huawei da implementação do 5G | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 14.07.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Reino Unido vai banir Huawei da implementação do 5G

Governo Johnson decide que operadoras do país não poderão mais comprar equipamento da gigante chinesa. Decisão ocorre após pressão dos EUA e embates entre Londres e Pequim em relação a Hong Kong.

Huawei logo auf der Hauptniederlassung in Reading, Großbritannien (Reuters/M. Childs)

Gigante das comunicações está no centro da guerra comercial entre EUA e China

O governo do Reino Unido anunciou nesta terça-feira (14/07) que, em 2021, proibirá que as operadoras de telecomunicações do país adquiram tecnologia 5G da Huawei, em meio às sanções aplicadas pelos Estados Unidos à companhia chinesa.

Em uma audiência na Câmara dos Comuns, o secretário das Comunicações, Oliver Dowden, disse que toda a infraestrutura de 5G aportada pela Huawei será eliminada do território britânico até 2027.

A decisão é uma vitória para o governo dos EUA, que vem travando uma ofensiva contra a gigante chinesa, alegando que os equipamentos da empresa permitem a Pequim espionar outros países. A Huawei nega.

O governo do premiê Boris Johnson também tem trocado farpas com os chineses em relação à interferência do governo chinês na autonomia da ex-colônia de Hong Kong. Johnson já havia indicado que poderia retaliar economicamente.

O integrante do governo comunicou a medida após uma reunião do Conselho de Segurança Nacional – formado por alguns ministros e pela procuradora-geral –, que anulou uma decisão de janeiro que autorizava a Huawei a atuar em ramos não estratégicas da rede 5G.

O conselho entendeu que mesmo essa participação, que previa que as operadoras britânicas poderiam ter até 35% das suas redes com equipamentos da Huawei e era encarada como um meio-termo entre a liberação total e o banimento, poderia acarretar riscos.

Dowden explicou que as circunstâncias mudaram e o conselho levou em consideração as sanções impostas pelos Estados Unidos à Huawei, que ocorrem em meio à guerra comercial com a China e incluem a restrição à venda de chips de fabricação americana ao país asiático.

De acordo com o ministro, as medidas adotadas pelos EUA "limitam a capacidade da Huawei de produzir produtos importantes", o que criaria incerteza quanto ao fornecimento. Segundo o titular da pasta, o Reino Unido não tem confiança para poder garantir a segurança de um futuro equipamento 5G da Huawei.

"Para sermos claros, a partir do fim deste ano, as operadoras de telecomunicações não devem comprar nenhum equipamento de 5G da Huawei. Quando for aprovada a lei de segurança nas comunicações será ilegal fazer isso", afirmou Dowden.

A decisão não afeta os aparelhos celulares e as redes de 3G e 4G instaladas pela Huawei no país.

O integrante do governo explicou que a exclusão da companhia chinesa do processo atrasará de dois a três anos o desenvolvimento da rede de alta velocidade no país. Além disso, aumentará o custo em cerca de 2 bilhões de libras (R$ 13,5 bilhões).

Nos últimos dias, algumas das principais operadoras britânicas, entre eles a Vodafone e a BT, advertiram que a eliminação dos equipamentos da Huawei das redes britânicas teria alto custo e poderia resultar em cortes de sinal.

JPS/efe/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais