Refugiado afegão se oferece para pagar multa de ativista sueca | Notícias internacionais e análises | DW | 21.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Refugiado afegão se oferece para pagar multa de ativista sueca

Engajamento de Elin Ersson por refugiados chama atenção de requerente de asilo na Alemanha, que quer pagar a pena de 290 euros imposta à ativista em condenação após protesto contra deportação.

 Elin Ersson

Para impedir deportação, Ersson protestou dentro de em avião

Um refugiado afegão que mora na Alemanha se ofereceu nesta quinta-feira (21/02) para pagar a multa de cerca de 290 euros, aproximadamente 1,2 mil reais, que foi imposta na condenação da ativista sueca Elin Ersson por violação de leis de segurança aérea na Suécia.

"Ouvi sobre a história de Elin Ersson nas redes sociais. Admiro e aprecio profundamente os seus esforços", afirmou à DW Arif Talash, de 29 anos, que é requerente de asilo na Alemanha. "Estou pronto para pagar em nome dela a multa que foi imposta", acrescentou.

Talash faz parte de um grupo de ativistas de Frankfurt que apoia requerentes de asilo e realiza campanhas de conscientização sobre os perigos que deportados enfrentam no Afeganistão.

O afegão encorajou ainda Ersson a continuar prestando apoio aos requerentes de asilo.

Ersson ficou famosa depois do vídeo de um protesto do qual ela participou viralizar na internet. Em 23 de julho de 2018, a sueca, de 21 anos na época, se recusou a se sentar para impedir a decolagem do avião e filmou a ação com o celular. Durante a ação, ela argumentava que um homem, que estava a bordo da aeronave e seria deportado, provavelmente corria risco de vida no Afeganistão.

A ação havia sido planejada após a família de Ismael Khawari, de 21 anos, entrar em contato com a rede da qual a jovem faz parte. Ersson esperava encontrar no avião o jovem e outro afegão, mais velho, que também deveria ser deportado. Khawari, no entanto, não estava a bordo daquele voo, apenas o outro homem, de 52 anos, que estava sob a vigilância de um oficial de imigração. 

A iniciativa acabou sendo bem-sucedida, e o afegão e oficial de imigração deixaram o avião após uma ordem do piloto. Pouco depois, ela foi retirada por seguranças. Os dois afegãos acabaram, porém, sendo deportados da Suécia.

A atitude de Ersson inspirou pessoas em vários países. Após o protesto, a jovem foi convidada para participar de conferências internacionais e se tornou uma voz pelos direitos de refugiados na Europa.

Segundo Talash, Ersson, pelo seu "valente e valioso apoio aos direitos humanos", também foi uma inspiração no grupo de ativistas do qual ele participa.

Pelo protesto, Ersson foi condenada a pagar uma multa de cerca de 290 euros por violação das leis de segurança aérea. A defesa da jovem recorreu da sentença. Até um novo posicionamento da Justiça sueca, o pagamento da multa fica em aberto.

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais