Recrutas alemães prestam compromisso solene à democracia | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 20.07.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Recrutas alemães prestam compromisso solene à democracia

Tradicional compromisso solene de recrutas das Forças Armadas alemãs se realiza novamente em frente à sede do Bundestag em Berlim. Cerimônia acontece em 20 de julho, dia do atentado contra Hitler, há 65 anos.

default

Compromisso solene se realiza em frente ao Bundestag

O 20 de julho de 1944 é um símbolo da resistência militar contra o nazismo. Nesse dia, um coronel de 36 anos, conde Claus Schenk von Stauffenberg, tentou matar Adolf Hitler, num atentado a bomba. O fracasso resultou na execução de Von Stauffenberg e de outros que conspiraram contra o ditador nazista.

Em memória dos conspiradores, cerca de 400 recrutas do Batalhão de Guardas das Forças Armadas alemãs (Bundeswehr) prestam compromisso solene público, na noite desta segunda-feira (20/07).

Tendo como pano de fundo o antigo prédio do Reichstag em Berlim, hoje sede da câmara baixa do Parlamento alemão, o Bundestag, os recrutas irão se comprometer "a servir fielmente à República Federal da Alemanha e a defender bravamente o direito e a liberdade do povo alemão".

Em 2008, o ministro alemão da Defesa, Franz Josef Jung, transferiu a cerimônia para Platz der Republik, a praça em frente à sede do Bundestag. Anteriormente, o voto solene era realizado no pátio do Ministério da Defesa. A mudança de lugar não aconteceu sem motivo: a proximidade do Bundestag sublinha a estreita ligação entre o Parlamento e as Forças Armadas alemãs.

Laços estreitos entre Parlamento e Forças Armadas

A chefe de governo, Angela Merkel, e o ministro da Defesa da Alemanha também estarão presentes à cerimônia. Em seu discurso do ano passado, o ministro Franz Josef Jung afirmou que "o prédio do Bundestag é um bom lugar para a celebração pública do compromisso". "Todos os Estados emanam do povo. Desde a formação da República Federal da Alemanha, todas as decisões relativas às nossas Forças Armadas foram tomadas pelo Parlamento alemão", lembrou Jung.

Rekruten-Gelöbnis am Reichstag

Cerimônia deve mostrar elo entre Forças Armadas e democracia

Todo soldado alemão que vai a missão no exterior é enviado pelo Parlamento alemão. Qualquer reforma das Forças Armadas tem que ser aprovada pelo Bundestag. Com a ajuda dos responsáveis parlamentares por questões relativas à Defesa, os deputados controlam se os princípios das Forças Armadas estão sendo respeitados.

Descrevendo tais princípios, o ministro Jung explicou que "a ação dos soldados está sempre ligada ao compromisso de respeitar e proteger a dignidade inviolável do ser humano. Por isso, os limites da ordem e da obediência são estabelecidos claramente. Os homens que participaram da resistência militar prestaram resistência a esses limites".

Consequência do nacional-socialismo

No dia 20 de julho, os recrutas prestam seu voto solene em honra daqueles oficiais que se levantaram contra Hitler em 1944, e que lhes devem servir de exemplo. O antigo premiê alemão Helmut Schmidt sublinhou o fato em seu discurso na cerimônia do ano passado. "Continua sendo verdade que somos seduzíveis. Nós alemães também somos seduzíveis. Por querermos resistir a uma possível tentação política, é necessário aprender com a nossa história, tanto moral quanto politicamente".

O fato de as Forças Armadas estarem tão ligadas ao Parlamento é consequência imediata do aprendizado político através do nacional-socialismo. O compromisso solene realizado no distrito governamental em Berlim deve mostrar que as Forças Armadas estão firmemente atreladas à democracia.

A atual cerimônia pouco tem a ver com o juramento à bandeira prestado por Forças Armadas alemãs de épocas anteriores. A tarefa dos soldados de hoje é claramente limitada à defesa. Seu "chefe" não é uma pessoa, mas a República Federal da Alemanha. O compromisso de defesa do direito e da liberdade corresponde à proibição da guerra de ataque, fixada no Artigo 26 da Lei Fundamental alemã.

Para que possam ser informados detalhadamente de suas obrigações, somente no final do treinamento básico de três meses os soldados podem prestar compromisso. A lei exige de militares de carreira e de voluntários temporários uma ligação mais forte com a República Federal da Alemanha. Eles prestam um juramento ("Eu juro..."). De resto, os textos do compromisso e do juramento são idênticos.

Desagrado da esquerda

BdT Protest gegen Gelöbnis vor dem Reichstag

Protestos diante do Bundestag em 2008

O evento com marchas militares e ordens dadas em tom bastante alto não agrada, no entanto, a todos. Em anos anteriores, críticos das Forças Armadas procuraram perturbar a cerimônia, que acreditam ser uma expressão marcial de um militarismo ultrapassado.

Neste ano, protestos de ativistas da esquerda também estão anunciados. Por isso, a área em torno do prédio do Bundestag será cercada e fortemente controlada. Somente parentes dos recrutas, políticos e convidados poderão estar presentes à cerimônia.

CA/dpa/ap/dw
Revisão: Augusto Valente

Leia mais