RECONSTRUÇÃO DO HAITI | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 23.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

RECONSTRUÇÃO DO HAITI

Esta semana nossos usuários comentaram sobre a reconstrução do Haiti, debate sobre o político holandês Geert Wilders e o controverso complexo siderúrgico na baía de Sepetiba. Vale a pena ler!

default

O projeto de reconstrução do Haiti é necessariamente haitiano. O país está destroçado, mas a nação haitiana continua existindo. O povo do Haiti deve ser ouvido e estimulado a dar opiniões sobre qual deverá ser o seu futuro. Se o governo democrático do Haiti escolheu os Estados Unidos para controlar o seu aeroporto, esta decisão deve ser respeitada. Este mesmo governo, escolhido democraticamente pelo povo haitiano, deverá indicar quais os países que participarão do seu projeto de reconstrução e em que bases este projeto será efetuado. Qualquer intervenção além destas premissas deve ser considerada uma intromissão indesejável e internacionalmente ilegal.
Leonardo Langaro

A reconstrução do Haiti deve ser feita pelas nações, independentemente de continentes ou questões políticas. O país já sofreu com as colonizações absurdas de Espanha, França e Estados Unidos.
Jorge Lima

A meu ver, o Brasil não é um país colonialista e não tem qualquer interesse pelo Haiti, a não ser o de ajudar o país a se recuperar.
Antonio Plinio

Não creio que nosso país tenha interesses coloniais no Haiti, e sim que a diplomacia brasileira está, aos poucos, tentando impedir que os americanos possam causar conflitos geopolíticos na região por meio de atitudes imperialistas. Há quatro anos na liderança das missões militares de paz na região, o Brasil não provocou nenhum conflito diplomático e interferência direta na política do país caribenho.
Jonathan Soares de Melo

Concordo com a opinião da jornalista Ina Rottscheidt. Controlar a população haitiana sem um horizonte de melhoria social não resolve o problema. Precisa haver um Fundo Social Internacional para construir escolas, pagar (mesmo que pouco) professores que inicialmente precisariam de mais vontade e meios de transmitir algum conhecimento. Agora, são necessários alimentos embalados em pequenas quantidades para facilitar a distribuição aos desesperados que têm fome e sede. Logo a seguir, é necessário depósitos de água e selecionar habitantes para servir como voluntários, mas pagos com pequenos salários, com vista à formação de futuros líderes locais, bombeiros, policiais, etc. O Haiti precisa de muita ajuda, mas com uma diretriz social de longo prazo. Não adianta somente controlar a população sem haver uma diretriz social definida pelo mundo esclarecido.
Ronaldo Russi De Domenico

Também sou da opinião que a reconstrução do Haiti deve ser uma ação humanitária e não política. Os países economicamente em melhor posição deveriam dividir o país em distritos e cada um cuidava de reestruturar seu pedaço.
Marcia Santana

TRIBUNAL EXAMINA POSTURA ANTI-ISLÂMICA DE GEERT WELDERS

Setores da sociedade europeia, como também da América Latina, estão sensibilizados com o tratamento dado aos muçulmanos. Quando aparece uma crítica ao islamismo como fomentador do terror, logo vem uma enxurrada de críticas aos que se levantam contra tal situação. Apoiar de forma irrestrita o islamismo é jogar no lixo 2.500 anos de cultura greco-romana e 2.000 anos de cristianismo, bandeiras caras à humanidade e carreadores de crescimento individual e social da parte da humanidade que as adotaram. Apoiar o islã tal como ele se apresenta ao mundo hoje significa também apoiar a intolerância às minorias religiosas e culturais nos países que o adotam. Onde estão os que acusam o Ocidente de maltratar os homossexuais? O castigo para estas pessoas nos países islâmicos é a morte na forca, em praça pública. Onde estão os que gritam por liberdade religiosa, quando lá se condena à morte os que abandonam o islã? Entendo este comportamento esquizofrênico de setores sociopolíticos do Ocidente como um vício adquirido através da militância em movimentos políticos orientados por pensadores socialistas, comunistas, anarquistas e movimento New Age, entre outros, formadores do que hoje se qualifica como "mente revolucionária", ou seja: em troca de um futuro hipotético ideal, o individuo abre mão de sua liberdade pela concentração de poder nas mãos de um governo centralizador de esquerda, cujo desfecho seria o "governo mundial". Felizmente os holandeses parecem reagir com bom senso a este disparate, empurrando para trás, ainda que contra as massas, este plano maldito, que a longo prazo oferece gratuitamente a um inimigo declarado a vitória sobre nossas vidas.
Edvaldo Franco

Se formos levar ao "pé da letra" o que o deputado holandês Geert Wilders vem afirmando, teremos que crer que ele é um ser ideológico também. Agora, o islã é uma ideologia voltada para o crime? É verdade que grupos podem usar o islã como ideologia, mas não quer dizer que o seja em sua essência. Então a Torá e a doutrina sionista são criminosas? O senhor Wilders não tem nada a dizer ou a declarar sobre isto também? Será que poupou as "papas na língua"? Outros tempos, outros interesses ou outros inimigos ideológicos?
Francisco Waitz

THYSSENKRUPP É ALVO DE CRÍTICAS DE PESCADORES BRASILEIROS

A melhor opção para a ThyssenKrupp é instalar-se em Cubatão, São Paulo. Trata-se de uma cidade industrial que tem porto para o Atlântico, fica a 50 quilômetros de São Paulo e tem mão-de-obra abundante. Não há qualquer sentido em se instalar num lugar de proteção ambiental como esse e prejudicar milhares de pescadores que jamais irão trabalhar na empresa.
Franz Josef Hildinger

Leia mais