1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto da rainha sorrindo. Ela veste roupa com estampas em tons de verde e preto. Usa colar de pérolas
Há quase 70 anos no trono: rainha celebra Jubileu de Platina em 2022Foto: Steve Parsons/Pool Photo via AP/picture alliance
SociedadeReino Unido

Rainha Elizabeth 2ª passa noite no hospital para exames

22 de outubro de 2021

Notícia alimenta especulações sobre a saúde da monarca, após ela cancelar viagem por recomendação médica. Segundo imprensa, hospitalização não se deve à covid-19. Palácio de Buckingham diz que rainha está de "bom humor".

https://www.dw.com/pt-br/rainha-elizabeth-2%C2%AA-passa-noite-no-hospital-para-exames/a-59589094

A rainha Elizabeth 2ª passou a noite desta quarta-feira (20/10) em um hospital para se submeter a "exames preliminares", anunciou o Palácio de Buckingham. A notícia alimenta especulações sobre a saúde da monarca britânica, de 95 anos, depois de elacancelar uma viagem à Irlanda do Norte na quarta-feira por recomendação médica.

De acordo com o palácio, Elizabeth 2ª retornou ao Castelo de Windsor ao meio-dia de quinta-feira e, à tarde, já estava em sua mesa de trabalho realizando tarefas leves. A monarca passa bem e está "de bom humor", segundo comunicado.

A rede de televisão britânica BBC informou que Elizabeth 2ª foi examinada por especialistas no hospital particular King Edward 7º, no centro de Londres, o mesmo onde seu marido, o príncipe Philip, foi internado antes de morrer, em abril, aos 99 anos.

A rainha já foi tratada outras vezes na clínica privada, inclusive em 2013, quando teve gastroenterite e também ficou internada por uma noite.

Internação por "razões práticas"

A agência de notícias britânica Press Association disse que a ida e a permanência no hospital não foram divulgadas inicialmente porque se esperava que fossem curtas e para proteger a privacidade da monarca. Ainda segundo a agência, ela pernoitou no hospital por "razões práticas", porque era tarde demais para fazer o trajeto de 42 quilômetros de volta a Windsor.

A internação da monarca não está ligada a uma possível infecção por coronavírus, disse a BBC.

A última aparição pública da rainha foi na terça-feira à noite, quando recebeu participantes do Fundo Global de Investimentos no Castelo de Windsor, após semanas de vários compromissos.

Em menos de duas semanas, a rainha receberá líderes mundiais na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), a ser realizada em Glasgow, na Escócia, a partir de 31 de outubro - um grande compromisso citado como uma das razões pelas quais ela pode querer descansar com antecedência.

Na semana passada, ela foi flagradaaparentemente criticando líderes que "falam, mas não fazem" o suficiente para combater o aquecimento global.

Comunicado atípico

O palácio de Buckingham normalmente não divulga boletins sobre a saúde da monarca, alegando a necessidade de preservar sua privacidade. No entanto, neste caso, ele confirmou a permanência da rainha no hospital depois que o jornal The Sun publicou a notícia.

De acordo com o especialista em família real Robert Hardman, há uma regra que costuma valer: se um membro da família real é submetido a um procedimento ou cirurgia, há boletins médicos, mas isso não se aplica a exames, afirmou à BBC.

Para ele, a atenção dada ao fato apenas reflete o grande afeto que a comunidade internacional tem pela monarca.

Irritação no palácio

Hardman disse à BBC que havia "um leve grau de irritação no palácio" pela manhã pelo fato de que a notícia da internação se tornou pública.

"Há uma preocupação em manter a dignidade do cargo", observou Hardman, acrescentando que as autoridades reais provavelmente temiam que emissoras de televisão e jornais montassem guarda em frente ao hospital caso a notícia fosse divulgada.

No entanto, o correspondente sobre a família real da BBC, Nicholas Witchell, disse que as autoridades "não têm fornecido uma imagem completa e razoável do que está ocorrendo".

"Rumores e informações incorretas proliferam e prosperam quando há ausência de boas, proporcionais e confiáveis informações", afirmou. Para ele, dizer que a rainha está "de bom humor" é "uma frase útil", que o palácio usa em momentos como este.

Richard Palmer, correspondente real do Daily Express, também chamou a frase de "clichê do palácio".  

Preparativos para Jubileu de Platina

Elizabeth 2ª é chefe de estado do Reino Unido e de 15 outros reinos ao redor do mundo, incluindo Austrália, Canadá e Nova Zelândia. Os preparativos já estão em andamento para comemorar seu Jubileu de Platina, em 2022, marcando seus 70 anos no trono. Embora ainda bastante ativa, ela reduziu sua carga de trabalho nos últimos anos.

A monarca ainda cavalga e dirige em suas propriedades particulares. No entanto, na semana passada, ela foi vista pela primeira vez desde 2003, quando tinha feito uma cirurgia no joelho, usando uma bengala. As autoridades reais disseram que isso não estava relacionado a nenhuma condição específica de saúde.

Recentemente, a monarca recusou o título de "Velhinha do Ano" concedido pela revista The Oldie para celebrar os feitos de pessoas idosas, afirmando se sentir jovem demais para isso. "Sua Majestade acredita que as pessoas são tão velhas quanto se sentem", disse seu secretário particular adjunto.

le/lf (Efe, AFP, AP, ots)