Rússia confirma contato com membros da campanha de Trump | Cobertura especial sobre as eleições nos Estados Unidos | DW | 11.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eleições nos EUA

Rússia confirma contato com membros da campanha de Trump

Vice-ministro do Exterior afirma que governo russo deve dar continuidade à aproximação com republicanos após eleição, e Kremlin define conexão como "bastante normal". Porta-voz de Trump nega contato.

O governo russo afirmou nesta quinta-feira (10/11) que, durante a corrida eleitoral nos EUA, manteve contato com membros da campanha do recém-eleito presidente, o republicano Donald Trump.

"Houve contatos", afirmou o vice-ministro do Exterior, Sergei Ryabkov, à agência de notícias Interfax. "É claro que daremos continuidade a esse trabalho depois da eleição", acrescentou, sem dar maiores detalhes de que tipo de contato se tratava.

Também nesta quinta-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse à agência de notícias AP em Nova York que tais contatos são "bastante normais". "Nossos especialistas nos Estados Unidos, em relações internacionais... é claro que eles conversam constantemente com seus colegas de profissão aqui, inclusive com os do grupo de Trump", afirmou.

"É muito natural que especialistas russos tentem manter o diálogo com pessoas de diferentes campos. É muito importante compreender as maiores correntes e entender as principais tendências, nuances e o posicionamento dos diferentes partidos aqui nos Estados Unidos", completou.

A porta-voz de Trump, Hope Hicks, negou, no entanto, qualquer conexão entre a delegação do republicano e funcionários russos. "Jamais aconteceu", disse ela. "Não houve comunicação entre a campanha e qualquer entidade estrangeira". Ela também negou que haja qualquer encontro planejado entre Peskov e Trump no futuro. 

Autoridades americanas acusam o governo russo de estar por trás de ataques de hackers a computadores do Partido Democrata – legenda da rival de Trump na corrida à Casa Branca, Hillary Clinton. Moscou nega envolvimento.

IP/dpa/rtr/ap

Leia mais