Putin é eleito presidente pela terceira vez | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 04.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Putin é eleito presidente pela terceira vez

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, venceu, como esperado, as eleições presidenciais, garantindo um terceiro mandato como presidente do país. Oposição acusa fraudes e promete voltar às ruas.

Os resultados preliminares da eleição presidencial na Rússia deste domingo dão vitória para o atual primeiro-ministro do país, Vladimir Putin. Ele obteve 61,8% dos votos, de acordo com o resultado das primeiras contagens, anunciado pelas autoridades eleitorais do país na noite de domingo (04/03).

Cartaz de protesto: oposição promete mais manifestações

Cartaz de protesto: oposição promete mais manifestações

Seu rival mais próximo, o comunista Gennady Ziuganov, ficou em segundo lugar, com 17,8%. Ziuganov classificou a eleição como "fraudulenta" e "absolutamente injusta", ao falar à TV estatal russa.

Assim, após quatro anos como primeiro-ministro, Putin poderá retornar em maio ao Kremlin, onde exerceu a presidência entre 2000 e 2008. A oposição anunciou novos protestos contra a eleição, que também classificou de injusta.

Possível reeleição em 2018

O novo presidente se elege, assim, pela primeira vez, para um período de seis anos, dois anos a mais que seus antecessores, devido a uma mudança na Constituição realizada durante a gestão de Medvedev. Putin também pode se candidatar a um segundo mandato como presidente, se quiser se reeleger em 2018.

Eleição teve controle por vídeo

Eleição teve controle por vídeo

O atual presidente, Dimitri Medvedev, afirmou que recusara uma nova candidatura sua, devido à alta popularidade de Putin. E Putin anunciou antes da eleição que nomeará Medvedev como primeiro-ministro, em uma controversa troca de cargos. Na Rússia, o primeiro-ministro está abaixo do presidente. A eleição presidencial russa foi acompanhada por diversas acusações de fraudes e severas medidas de segurança.

Pela primeira vez, a votação foi monitorada com câmeras de vídeo em quase todo o território russo, para evitar alegações de fraudes.

Acusações de irregularidades

Medvedev vota: presidente deve herdar atual cargo de Putin

Medvedev vota: presidente deve herdar atual cargo de Putin

A organização independente de observação eleitoral Golos, o partido de oposição Yabloko e a nova Liga de Eleitores acusaram irregularidades, como as ocorridas nas controversas eleições parlamentares de dezembro. O Ministério russo do Interior refutou as acusações, afirmando que, “fora tentativas de manipulação insignificantes, tudo decorreu normalmente”.

Depois de protestos em massa contra a vitória do partido de Putin na eleição parlamentar de dezembro, a sociedade civil mobilizou um número inédito de observadores. Dezenas de milhares se dispuseram a impedir falsificações. Também observadores internacionais, como da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) estão observando as eleições russas.

MD/dpa/afp
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais