Protesto em Praga pede renúncia do premiê tcheco | Notícias internacionais e análises | DW | 23.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Protesto em Praga pede renúncia do premiê tcheco

Cerca de 250 mil vão às ruas da capital da República Tcheca pedir a demissão do primeiro-ministro Andrej Babis, acusado de corrupção. Comparado a Trump, magnata chegou ao poder prometendo limpeza na política.

Manifestante com a bandeira tcheca diante de uma multidão em Praga

Protesto foi um dos maiores na capital tcheca desde a Revolução de Veludo

Cerca de 250 mil manifestantes foram às ruas de Praga neste domingo (23/06) para exigir a renúncia do primeiro-ministro da República Tcheca, o magnata Andrej Babis, acusado de corrupção.

A manifestação, convocada por um movimento cívico chamado "Um milhão de momentos para a democracia", exigiu também a saída da ministra de Justiça, Marie Benesova, uma antiga promotora acusada de tentar proteger o chefe de governo de possíveis ações legais.

Segundo resultados preliminares de uma investigação da Comissão Europeia, o consórcio agroalimentar Agrofert, propriedade de Babis, recebeu ajudas milionárias de fundos europeus de forma injustificada, inclusive depois de ele já ter assumido o governo.

"Pedimos a saída de Marie Benesova e exigimos a renúncia de Andrej Babis", pronunciou-se no início do protesto Mikulas Minar, o líder da plataforma cívica, que há várias semanas organiza os protestos contra o primeiro-ministro. Esta foi uma das maiores concentrações civis em Praga desde a chamada Revolução de Veludo, que pôs fim ao regime comunista há três décadas.

Babis, de 64 anos, lidera uma coalizão em minoria entre seu partido, o populista ANO, e o social-democrata CSSD. Ele rejeita as acusações, tachando-as de ataque contra o país. De retórica muitas vezes comparada à de Donald Trump, Babis chegou ao governo através das eleições parlamentares de 2017, após uma campanha marcada pelo discurso contra a corrupção, o euro, os imigrantes e os demais partidos políticos, os quais acusava de não fazerem nada, senão sustentar um sistema corrupto.

MD/efe/afp/rtr/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais