Presidente egípcio defende causa palestina em discurso na ONU | Notícias internacionais e análises | DW | 27.09.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Presidente egípcio defende causa palestina em discurso na ONU

Mohamed Morsi diz à Assembleia Geral que a causa palestina é o tema mais urgente a ser resolvido pela comunidade internacional e que é "vergonhoso" que os palestinos ainda não tenham um Estado.

Mohammed Morsi

Mohammed Morsi

O novo presidente do Egito, Mohamed Morsi, fez seu primeiro discurso nas Nações Unidas nesta quarta-feira (26/09) com um apelo em defesa da resolução do conflito pela criação do Estado palestino.

"A causa palestina é o primeiro tema em que o mundo deve concentrar seus esforços para que seja solucionado, na base da justiça e da dignidade", afirmou. Sem citar o nome de Israel, disse ser "vergonhoso que o mundo livre aceite que um membro da comunidade internacional continue a negar aos palestinos o direito de serem uma nação e de serem independentes".

"Eu peço a vocês que, assim como apoiaram as revoluções nos países árabes, que apoiem os palestinos em sua luta para reconquistar seus direitos legítimos como povo e para estabelecer um estado independente", declarou Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito da história do Egito, à Assembleia Geral.

O líder egípcio também discorreu sobre a guerra civil na Síria, que já dura mais de 18 meses, e na qual os grupos de oposição dizem ter matado 30 mil pessoas. Morsi garantiu que "não descansará" até que termine o conflito naquele país, definido por ele como a "tragédia da nossa época".

Morsi também condenou o filme feito nos Estados Unidos que ridiculariza o profeta Maomé, classificando-o como uma "obscenidade". Ele insistiu que a liberdade de expressão não deve permitir ataques a qualquer religião.

RO/ap/dpa/lusa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais